26 de fev de 2013

DIRCEU: TUCANOS CAMINHAM PARA A QUARTA DERROTA


Segundo o ex-ministro, bordão que já levou o partido à derrota três vezes está sendo retomado pela voz do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, no discurso da candidatura de Aécio Neves à presidência; para o petista, novamente estão dizendo que "nós do PT não temos projeto e que copiamos o dele"; oposição faz "jogo de cena", diz

O discurso que está sendo retomado neste ano pelo PSDB, ao defender a candidatura do senador mineiro Aécio Neves à presidência da República, deve provocar a quarta derrotada do tucanato, avalia o ex-ministro José Dirceu. Segundo o petista, novamente vem sendo dito, hoje pela voz do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, "que nós do PT não temos projeto e que copiamos o dele", bordão que "levou [o partido] à derrota três vezes em eleições nacionais (2002-2006-2010)".
Dirceu afirma ainda, em texto publicado nesta terça-feira 26 em seu blog, que os tucanos têm feito um "jogo de cena, como se a opinião pública, a sociedade, o povo, fossem bobos", e que adiantaram as eleições em quase dois anos, com grande apoio da imprensa. "Essa precipitação da campanha eleitoral é um despropósito para o país", escreveu Dirceu, mas a presidente Dilma Rousseff e o PT, segundo ele, "podem e farão frente a essa manobra diversionista".
Leia abaixo a íntegra do texto, publicado no blog de José Dirceu:
Tucanato retoma bordão que já o levou três vezes à derrota
O tucanato, pela voz do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, repete o bordão que o levou à derrota três vezes em eleições nacionais (2002-2006-2010): que nós do PT não temos projeto e que copiamos o dele. Em Belo Horizonte, nesta 2ª feira (ontem), no primeiro dos seminários que o PSDB programa realizar este ano pelo país, o ex-presidente da República foi capaz de repetir que o PT não tem projetos para o Brasil e "usurpou" as ideias tucanas.
O tucanato e seu principal líder em ação agora, o ex-presidente FHC, fazem um jogo de cena, como se a opinião pública, a sociedade, o povo, fossem bobos. E, ainda por cima, dizem que não fazem exatamente o que estão fazendo: anteciparam em quase dois anos a campanha eleitoral (a eleição é em outubro de 2014), com grande apoio dos donos da mídia.
FHC negou que sua ida à capital mineira tenha sido para lançar a candidatura de Aécio Neves à Presidência - o que ele já fez no início do ano -, mas se contradisse em seguida. "Não é momento de lançar uma candidatura, mas temos que ter uma", disse. E desandou a fazer elogios ao colega de partido que ele lançou candidato: "Aécio Neves é renovação. Até no estilo de falar, na leveza. Uma candidatura mais dinâmica, jovem".
Essa precipitação da campanha eleitoral é um despropósito para o país, mas para eles do tucanato e da oposição tem um objetivo claro: fazer de tudo para o governo não dar certo e abrir mais uma frente de combate. O problema é que a presidenta Dilma Rousseff tem um partido que tem uma liderança popular e nacional como o ex-presidente Lula. O PT e o ex-presidente podem e farão frente a essa manobra diversionista.
Este 2013 é o ano da retomada do crescimento econômico e de enfrentar os gargalos de nossa economia. Mas, ao mesmo tempo que buscaremos e conquistaremos essa meta, temos que expor ao país como os tucanos governam seus Estados, começando por São Paulo e Minas Gerais, para que o povo compare com os governos Dilma e Lula.

Sintonia Fina


Nenhum comentário: