28 de fev de 2013

Ayres Britto não perde por esperar


Ele nem esperou o fim do julgamento para entrar na Globo

O passarinho saiu de Brasilia, pousou na janela lá de casa e contou uma história interessante.

Um advogado perspicaz percebeu que há uma infração gritante no prefaciador do livro do Ataulfo Merval de Paiva (*), o Big Ben de Propriá.

- Como é que um ex-Ministro do Supremo prefacia um livro que trata de condenados num julgamento que não se concluiu ?

O livro e o prefácio vieram à luz (ou à treva) antes da publicação dos acordãos e do julgamento dos embargos.

O julgamento está em curso.

O que terminou foi a proclamação do veredito pelo PiG (**), antes de comecar o julgamento.

Que Juiz é esse ?

Que Juiz é esse que referenda as análises parciais e partidárias (anti-petistas)  de um jornalista que se notabilizou como o Promotor-Mor do julgamento ?

Será que esse Juiz era a fonte certeira que conferia ao jornalista o direito de prever quem ia votar, quando ia votar e como ia votar ?

Tem um advogado à espreita do Juiz.
Paulo Henrique Amorim


Sintonia Fina 

Nenhum comentário: