24 de mai de 2012

E a Globo de Miriam Leitão não larga o osso da agiotagem dos banqueiros



Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!


Na ânsia de defender banqueiros, G1 erra e engole palavras.


Governar a economia de um país em desenvolvimento, como o Brasil, é ficar de olho no "painel de controle" dos números da economia para ajustar os rumos, dia a dia. Um bom governo faz isso. Um mal governo, como era o de FHC, Serra, Daniel Dantas e companhia, deixa os dados rolarem na mão invisível do "mercado" (coisa que o cartel dos banqueiros dizem representar).

Quando a presidenta Dilma assumiu o governo ela adotou algumas medidas de restrição ao crédito, num momento em que a inflação ameaçava subir acima da meta, e que o incentivo ao consumo estava sendo canalizado para produtos importados de forma desequilibrada, devido à guerra cambial promovida por outros países em crise.

À medida que a Presidenta e o ministro da fazenda Guido Mantega leem números diferentes no painel de controle da economia, ajustam os próximos passos, da mesma forma que um motorista acelera ou reduz a velocidade em uma estrada, conforme os trechos e as condições do trânsito, chuvas, etc, para conduzir a viagem ao destino com final feliz e de forma segura.

Assim o governo baixou os juros da taxa Selic e ao consumidor via bancos públicos, a guerra cambial está sendo vencida, com a cotação do dólar subindo a um valor que torna a indústria nacional mais competitiva, não há pressão inflacionária por aquecimento excessivo da economia, e com isso, o governo volta a incentivar o consumo, oferecendo mais crédito, reduzindo alguns impostos sobre a produção, e assim, a incentiva novamente o consumo, que está favorável para a indústria nacional.

Nada mais normal, quando há um governo de verdade, compromissado com os verdadeiros interesses da nação, e não compromissado com uma dúzia de banqueiros.

No entanto o jornalismo da TV Globo, continua jogando contra o patrimônio do povo brasileiro, e a favor dos patrocinadores banqueiros do Jornal do Brasdesco, quer dizer, Jornal Nacional, e pelo Jornal do Itaú, quer dizer, Jornal da Globo.

Miriam Leitão, em comentário matinal, já adota o argumento dos banqueiros, de que "incentivar endividamento é perigoso". Ora, é claro que é, mas só para quem já comprometeu sua renda, e precisa acabar de pagar alguns compromissos para poderem assumir outros. Mesmo assim tem muita gente que está nesta situação, justamente, porque estão pagando juros de agiotagem. Muita gente que está com a corda no pescoço pode renegociar suas dívidas em condições muito melhores, sair do sufoco, e dentro de pouco tempo voltar a ter um orçamento familiar equilibrado, normal, onde cabe uma prestação (com juros baixos) para aquisição de algum bem necessário, seja casa, carro, geladeira, máquina de lavar, computador, etc.

O jogo dos banqueiros é restringir o crédito para continuar caro, com juros de agiotagem, seguindo a lei da oferta e da procura, restringindo a oferta. E, em vez de financiar a produção, casa própria, indústrias, infra-estrutura, como ocorre em qualquer país capitalista, querem ficar na zona de conforto, sem risco, de mamarem nas tetas do governo aplicando só em títulos da dívida pública a juros altos.

Por isso não cansamos de falar: os trabalhadores compromissados com a prosperidade da nação e do povo brasileiro, devem transferir até mesmo suas contas salários e aposentadorias para a Caixa Econômica Federal ou para o Banco Brasil (inclusive o Banco Postal, nas agências dos Correios).

Deixar seu rico dinheirinho alimentando o monstro da parceria banqueiros-Globo é financiar o golpe contra a nova era nacional da economia de juros baixos, que vai permitir ao Brasil continuar trilhando seu caminho de uma nação rica e com riqueza para todos. 


Sintonia Fina
- com Amigos do Lula

Nenhum comentário: