13 de nov de 2011

Lula: “Quero ajudar Dilma em 2014″

Duas semanas depois de ficar sabendo que está com câncer na laringe, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mostra seu estado de ânimo ao falar dos planos para o futuro:
 
"Quero estar forte em 2014 para ajudar a reeleger a Dilma"", contou em meio a uma conversa de mais de duas horas na tarde deste sábado, na sala do seu apartamento, no centro de São Bernardo do Campo, o mesmo onde morava antes de ser eleito presidente da República.
 
Lula só não se conforma de não conseguir comer seus pratos prediletos. Tinha pedido uma feijoada para o almoço, cortou tudo em pedaços pequenos, mas não conseguiu comer. 
 
 
O tratamento de quimioterapia provoca-lhe enjôos e o fez perder o sabor dos alimentos.
 
"Gostaria de entrar num freezer e só sair quando terminar essa quimioterapia...", brincou ele, ao relatar suas dificuldades com a nova rotina imposta pela doença, sem perder o bom humor.
 
Fora isso, Lula percebeu que já começou a perder cabelos no alto da cabeça e está conformado com a idéia de que também ficará sem a barba que cultiva desde o final dos anos 1970.
 
A voz já voltou ao normal e ele está com muita vontade de falar, principalmente do cenário político para as eleições de 2012. Lula até já gravou, na última sexta-feira, sua participação no programa do PT que irá ao ar em dezembro.
 
Seu objetivo imediato é convencer o PMDB a repetir em São Paulo a aliança que elegeu Dilma no ano passado.
 
Ao lado da mulher, Marisa, o ex-presidente lembra que nunca ficou tanto tempo sem sair de casa. Tinha várias viagens ao exterior marcadas até o final do ano, mas teve que cancelar tudo até fevereiro.
 
Daqui a dez dias, ele inicia a segunda sessão de quimioterapia, um tratamento penoso que o deixa com um gosto ruim na boca. "A Dilma me falou que isso passa rápido. São só três sessões. Quer dizer, um terço já passou...".
 
No final da tarde, o casal Silva recebeu a visita do casal Luiz Marinho, velhos amigos e vizinhos de chácara na represa Billings. A "vó" Marília, sogra de Marisa no seu primeiro casamento, que vive com a família, preparou o café. Sandro, o filho do meio dos dois, deu plantão junto ao telefone que não parava de tocar.
 
Fiquei feliz de reencontrar Lula com a mesma disposição de sempre, elevando o tom de voz para convencer os outros de que seus argumentos estão certos, em especial quando se queixa do noticiário da imprensa, uma discussão que a gente sempre tinha nos primeiros anos de governo.
 
A queixa é a mesma: a imprensa só se interessa em dar notícias ruins, não mostra o que acontece de bom no país. Para provar, pega o relatório que recebeu esta semana sobre o programa "Luz para todos", um dos orgulhos do seu governo, que superou a marca de 3 milhões de famílias atendidas.
 
Quando as visitas já estavam se despedindo, chegou a filha Lurian com dois dos netos de Lula. Dali a pouco era hora de jantar, tentar comer alguma coisa além de carne moída, arroz e ovo frito. O velho Lula continua de bem com a vida, apesar de tudo.
 
Vida que segue.
 
Sintonia Fina via Com Texto Livre

Nenhum comentário: