3 de jun de 2013

A ASSINATURA DA MULHER DO GURGEL. ATÉ TU, TOFFOLI ?


O Sintonia Fina, junto ao Conversa Afiada tem o prazer de reproduzir o
“vídeo” e uma análise do mesmo
Aurélio Buarque de Espanha, que redigiu para a WicKepedia
o verbete “Daniel Dantas”:



A Carta Capital publicou na página 31 da edição impressa
– clique aqui para ler post de Leandro Fortes sobre “estranhas mudanças” – ,
as assinaturas da mulher do Gurgel e as dele, nas duas petições que os dois assinaram:
uma pelo arquivamento do inquérito contra o delegado Protógenes,
e outra completamente ao contrário, para levar o delegado Protógenes à forca.

Estranho, muito estranho.

As assinaturas da mulher do Gurgel – a sub-procuradora Claudia Sampaio Marques –,
nos dois momentos, são gritantemente diferentes.

Veja na animação anexa.





Impressionante !

É A BOLINHA DE PAPEL DO GURGEL ! 

Fica evidente  que NÃO FOI A MESMA PESSOA QUE ASSINOU OS DOIS PARECERES DA PGR.

POR QUE ?

O que pode ter provocado essa grosseira falsificação ?

Hipóteses:

1) No site do STF, aparece no acompanhamento do inquérito 3152 (e isso é PÚBLICO !), 
que o assunto FOI COLOCADO NA PAUTA DO SUPREMO para julgamento no dia 22/02/2013, 
uma sexta-feira depois da semana de Carnaval (veja abaixo). 

Ou seja, se julgaria aí o PEDIDO DE ARQUIVAMENTO DA PGR, 
e o STF não poderia fazer nada diferente do que ARQUIVAR. 

Diante da iminência do que aconteceria, naturalmente deve ter havido uma correria nos 
gabinetes do imaculado banqueiro (como diz você) Daniel Dantas e de seu advogado, 
Dr Aristides Junqueira. 

Passadas 2 semanas, a PGR requisita o inquérito e, EM SEIS DIAS, coloca o novo parecer nas mãos 
do Ministro Toffoli, que, para o pedido de arquivamento, analisou ao longo de DEZOITO MESES.

DJ Nr. 35 do dia 22/02/2013
Plenário
Pauta de Julgamento
INQUÉRITO Nr. 3152

2) Ou seja, o Dantas precisaria AGIR RÁPIDO para o assunto não ir ao PLENÁRIO DO STF. 

E a PGR tinha que andar rapidissimamente, como  fez, por motivos que só os deuses podem esclarecer.

Agora, as hipóteses para alguém assinar em lugar da Procuradora Claudia, já que, obviamente, 
as assinaturas são diferentes:

a) Ela estar viajando entre 12 e 18/03 e aí alguém tinha que assinar por ela para entrar rápido na 
mesa de Toffoli e evitar o julgamento no plenário.

b) O marido, que o senador Collor chama de “prevaricador”, assinou por ela e depois contou para ela. 
(É interessante que a assinatura dele é mais “forte”, mais “carcada”, como a da segunda assinatura dela).

c) Ela temeu as consequências e, propositadamente, fez com que alguém assinasse em seu lugar. 

Isso tudo parece absurdo ?

É possível imaginar que isso se passaria na Procuradoria Geral da República do Brasil ?

Parece uma insensatez formular essas hipóteses ?

Caro amigo navegante do ansioso blog: é, sim, tudo, um absurdo !

Outra hipótese:

Se alguém tiver assinado por ela, alguém pode ter escrito por ela.

(A Carta Capital afirma que os “estilos” dos dois pareceres são diferentes. 
Não seria o caso de examinar o “estilo” dos advogados do imaculado banqueiro 
com o do segundo documento “assinado” pela Procuradora ?)

Outro ponto interessante é que o Ministro Toffoli traz o processo à CONCLUSÃO 
logo depois do parecer da PGR (isso impede que as partes tenham cópia por cerca de 1 mês).

E,  imediatamente,  pede para retirar da agenda do Plenário. 

Assim que sai a decisão do Presidente Joaquim Barbosa – quando ele vai legitimar a Satiagraha ? 
– Toffoli publica a decisão dele.

E como Gurgel e a mulher, Toffoli ignora os argumentos dos “acusados.

Como o argumento do delegado Protógenes de que R$ 280 mil não tinham sido apreendidos na casa dele.

Primeiro, o sistema acusatório constitucional foi desvirtuado por um juiz – Ali Mazloum -  
que concebeu uma investigação sem o MP ter acusado e em cima de dados falsos. 

E na suposição de que um ansioso blogueiro tenha que dar satisfações sobre a quem 
dirige seus telefonemas.

Agora, a Procuradoria Geral da República (sic)  muda o que achava  depois de uma petição 
feita por um imaculado banqueiro (condenado a 10 anos de prisão) e interessado direto na ação, 
EMBORA NÃO SEJA PARTE DELA.  

Com tudo isso, a assinatura da Dra Claudia Sampaio é o que vai “pegar”. 

Atenciosamente e sempre a seu dispor,

Aurélio Buarque de Espanha, modesto redator de verbetes

SINTONIA FINA - @riltonsp

Nenhum comentário: