2 de mai de 2013

Dilma avisa Aécio e Campos: não adianta torcer contra.


Ah! E a riqueza do petróleo é para a educação das crianças, jovens e adultos brasileiros. Não é para a Chevron, viu Aécio e Eduardo Campos?

A presidenta disse também que os programas sociais brasileiros são modelos exemplares reconhecidos por todo o mundo e copiados, mas o que o PIG (Partido da Imprensa Golpista, claro que ela não usou essa palavra, mas a carapuça serviu) não fala é que o maior impacto na diminuição da desigualdade foi por causa dos 19,3 milhões de empregos gerados no governo Lula e Dilma e do aumento real conquistado pela maioria dos trabalhadores assalariados (o salário mínimo cresceu mais de 70% em termos reais).

Aliás as desigualdades diminuíram também entre homens e mulheres, entre brancos e negros e entre trabalhadores urbanos e rurais.

Dilma saudou a aprovação da PEC das domésticas e a conquista da isenção do Imposto de Renda sobre a participação nos lucros dos trabalhadores, atendendo a uma reivindicação das centrais sindicais.

A presidenta ainda deu um recado aos brasileiros contra os urubólogos: não adianta eles torcerem contra, porque ela continuará governando para haver o crescimento, mas não abre mão de ser com geração empregos e distribuição de renda (os gurus econômicos de Aécio Neves (PSDB-MG) e Eduardo Campos (PSB-PE) defendem aumentar o desemprego e, portanto, concentrar renda. Dilma disse que continuará enfrentando interesses poderosos e não descuidará nunca da inflação, para mantê-la baixa.


Nenhum comentário: