8 de abr de 2013

Não há nada contra Lula. Mas MPF precisa abrir a caixa-preta do mensalão tucano de 2002 e na Telesp.


A imprensa demotucana ficou excitada com essa nota do MPF:
Nota à imprensa do MPF/DF sobre abertura de inquérito
.
5/4/2013
Foi requisitado instauração de inquérito para apurar um dos fatos descritos pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza
O Ministério Público Federal no DF (MPF/DF) requereu à Polícia Federal a instauração de inquérito para apurar um dos fatos descritos pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza em depoimento prestado à Procuradoria Geral da República (PGR) em setembro de 2012. O teor específico desse relato já foi divulgado na imprensa. Nele, o empresário afirma que teria sido feito um repasse de US$ 7 milhões por parte de fornecedora da Portugal Telecom em Macau (China), ao Partido dos Trabalhadores (PT), por meio de contas bancárias no exterior.
.
Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República no Distrito Federal
(61) 3313-5460/5458
twitter.com/MPF_DF
Apesar de quererem usar essa nota para atacar o presidente Lula, e o PT, a notícia é preocupante é para o tucanato da privataria.

No referido depoimento, Valério teria dado o número de uma conta no exterior do publicitário Nizan Guanaes para, supostamente receber por caixa-2, segundo o jornal Estadão, que diz ter lido o depoimento sigiloso. Porém, Guanaes atuou na campanha presidencial de José Serra (PSDB-SP) em 2002, e o noticiário de agosto de 2004 dizia que ainda havia dívidas de campanha para pagar.

A Portugal Telecom foi a compradora da Telesp Celular na privataria de 1998, e de parcela significativa da Telesp fixa. Aliás, às vésperas da privataria, a SMPB de São Paulo, empresa de Marcos Valério, realizou transações milionárias na Telesp, ainda estatal sob domínio tucano, em valores suspeitos, dez vezes acima do contratado. E o caminho do dinheiro foi para 6 empresas com características de serem "de fachada". Teriam sido abertas apenas para receber dinheiro oriundo do caixa da Telesp, e todas as 6 empresas são dos mesmos donos. A CPI dos Correios chegou a iniciar uma linha de investigação nessa questão, mas acabou não aprofundando. 

A pergunta que o povo precisa de respostas é: Por que o Ministério Público Federal em São Paulo não investigou a conexão Telesp do "mensalão"? Talvez essa investigação no DF abra essa caixa-preta.

Não existe nada contra Lula

Eu sei que contra golpismos todo cuidado é pouco. Mas não existe nada contra o presidente Lula, como já cansamos de falar aqui.

Aliás, se existisse algo que Marcos Valério pudesse usar contra Lula já teria usado em 2005 e 2006, para eleger já naquele ano seus amigos demotucanos, para nomear um engavetador, e arquivar o caso.


Nenhum comentário: