25 de mar de 2013

QUEDA DA INADIMPLÊNCIA - BRASILEIROS PAGAM SUAS CONTAS DENTRO DA NORMALIDADE



MAIS UMA PREVISÃO FURADA DOS "ESPECIALISTAS E ECONOMISTAS DE AQUÁRIO" 

- A inadimplência não atingiu níveis alarmantes e retornou ao patamar histórico da economia brasileira. Juros mais baixos, perto de um nível civilizado, ajudam a fazer com que o consumidor honre seus compromissos. É verdade que, estimulam às compras e incomodam os agiotas dos mercados, que acostumados à USURA, vivem pedindo aumento da SELIC para conter a inflação, embora ela também se mantenha controlada.



Wellton Máximo - Agência Brasil


Brasília – A queda na inadimplência observada desde o segundo semestre do ano passado não convenceu os bancos a reduzirem as reservas para cobrir créditos duvidosos (com risco de não serem pagos). Segundo levantamento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a inadimplência no fim do ano passado recuou para níveis parecidos com os observados no primeiro trimestre de 2008, antes do início da crise financeira. As provisões dos bancos, no entanto, não acompanharam essa redução.

De acordo com a Febraban, o volume de provisões está estável há seis semestres entre 6,1% e 6,3% do total emprestado pelas instituições financeiras, enquanto a inadimplência encerrou 2012 em 3,4%. No primeiro trimestre de 2008, quando a inadimplência atingia 3,5%, as provisões equivaliam a apenas 5% da carteira de crédito.

Para o economista e especialista em crédito Fábio Gallo, da Fundação Getulio Vargas (FGV), a demora de os bancos reagirem à queda da inadimplência é natural e se deve ao temor de que o nível de pagamentos em atraso volte a aumentar em 2013. “A inadimplência parece ter voltado à normalidade, mas ainda não há certeza de que essa queda seja consistente. Nem todos os números indicam isso”, diz.

SINTONIA FINA
- com 007bondeblog

Nenhum comentário: