18 de mar de 2013

Enquanto Dilma faz desonerações, Alckmin aumenta conta de água em 7,5%


Parece que nem o jornal Folha de São Paulo, tido como uma especie de assessoria de imprensa do PSDB, aguenta mais os tucanos  em São Paulo. Hoje a coluna Painel,  dedicado a assuntos políticos abriu manchete: “Enquanto Dilma faz desonerações, Alckmin deve aumentar conta de água”. Veja a nota

Quem paga a conta 

Enquanto Dilma Rousseff promove desonerações em série para deter a inflação, Geraldo Alckmin tem encrenca à vista: a Sabesp quer incorporar aditivo de 7,5% ao reajuste anual das contas de água na cidade de São Paulo, que deve ficar próximo de 2%. A revisão tarifária compensaria a empresa, controlada pelo Estado (governo Alckmin PSDB), por uma injeção de recursos do mesmo percentual que fez no fundo de saneamento da capital em 2009, quando José Serra era governador e Gilberto Kassab, prefeito.

Freio 

A agência reguladora paulista contratou empresa para auditar os investimentos da Sabesp antes de decidir se acolhe a revisão da tarifa, que traria impacto ao consumidor a partir de agosto. O contrato entre a empresa e a prefeitura, de 30 anos, prevê injeção de R$ 16 bilhões.

Redução... 

Preocupado com o desgaste da medida, Alckmin estuda saída menos onerosa com sua equipe. Auxiliares do tucano defendem a pulverização desse índice adicional em até quatro anos.

... de danos Alegando desconhecer o processo, a prefeitura pediu prazo para submeter o tema ao comitê gestor dos serviços de água e esgoto da capital. Na próxima sexta-feira, contudo, o Estado deve dar seu veredicto.


SINTONIA FINA


Nenhum comentário: