5 de mar de 2013

BARBOSA A REPÓRTER DO ESTADÃO: 'PALHAÇO, VÁ CHAFURDAR NO LIXO'


Descontrolado, em pleno ataque de nervos, presidente do STF exprime em diálogo com jornalista de O Estado de S. Paulo, em Brasília, todo o seu desapreço pela instituição da sociedade chamada imprensa: "Vá chafurdar no lixo", ordenou Joaquim Barbosa depois de ter classificado o profissional Felipe Recondo de "palhaço"; foi à saída da reunião do Conselho Nacional de Justiça, nesta terça 5; repórter apenas iniciara sua pergunta: "Presidente, como o senhor está vendo..."; os gritos de Barbosa o interromperam: "Não estou vendo nada. Me deixa em paz, rapaz. Vá chafurdar no lixo como você faz sempre"; é com este padrão de respeito ao próximo que Barbosa governa um poder da República; em qualquer escola primária, levaria nota zero com cartinha aos pais para aprender a ser minimamente educado...

******

Apesar de ser bem tratado e elogiado em grande parte do noticiário da midia tradicional, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, não parece conseguir se entender com os jornalistas. Nesta terça-feira, Barbosa chegou a chamar de "palhaço" um repórter do Estadão que lhe dirigiu a palavra, e o presidente do STF ainda recomendou que o jornalista fosse "chafurdar no lixo" (ouça aqui o áudio).
O desentendimento, que não é o primeiro entre o presidente do Supremo e um jornalista, ocorreu na saída da reunião do Conselho Nacional de Justiça, que também é presidido por Barbosa. Quando deixava o local, Barbosa foi abordado por jornalistas, como de costume, mas interrompeu, aos gritos, um dos repórteres logo na primeira pergunta.
O jornalista Felipe Recondo iniciou a questão: "Presidente, como o senhor está vendo...". Mas não pôde seguir, porque Barbosa logo emendou: "Não estou vendo nada. Me deixa em paz, rapaz. Vá chafurdar no lixo como você faz sempre". Assustado, o repórter retrucou com outra pergunta: "Que é isso ministro, o que houve?". Barbosa respondeu: "Estou pedindo, me deixe em paz. Já disse várias vezes ao senhor".
Diante de mais uma negativa, o repórter retrucou que "uu tenho que fazer pergunta, que é o meu trabalho". Mas a argumentação só serviria para irritar Barbosa ainda mais . "Eu não tenho nada a lhe dizer, não quero nem saber do que o senhor está tratando", disse o presidente do Supremo, que, afastado por assessores, ainda chamou o repórter de "palhaço" ao entrar em um elevador.
Associações
Os jornalistas que aguardavam o presidente do Supremo esperavam pela oportunidade de repercutir a nota divulgada pelas três maiores entidades de juízes do país (AMB, Ajufe e Anamatra) no fim de semana, em que os magistrados criticaram Barbosa por ele ter dito em entrevista que a magistratura tem mentalidade pró-impunidade. Em novembro passado, o presidente do Supremo já havia criticado um repórter negro, como ele, que, segundo Barbosa, teria replicado estereótipos racistas ao perguntar se ele estava sereno no novo cargo.


SINTONIA FINA

2 comentários:

H.Pires disse...

FOLHA X FALHA. "Liberdade de Expressão"? A FALHA não teve a "liberdade de expressão" assegurada não. A FALHA foi condenada na DIREITA TOGADA. CADÊ VOCES? Globo, Estadão, a própria Folha são paulo, CBN, BAND e asseclas? Cadê voces seus "liberdades de expressão"? E o Sr. seu Felipe Recondo? Aonde o Sr. estava que não defendeu a FALHA, aqui real, em sua liberdade de expressão? Dado a reação "gratuita" de Min.Barbosa, fica a pergunta intrigante: Caso fosse, essa reação, tida pelo Min. Ricardo Lewandowski, como voces da Globo, Folha, CBN, Estadão e asseclas, estariam noticiando agora? Estariam todos calados como estão agora? Voces são lixo mesmo ou não?


llManuh disse...

Parece que a máscara do garoto humilde das MInas Gerais não tem o seu número!
Lamentável! Ou melhor, como diz o sindicato dos jornalistas: INADMISSÍVEL!

Beijos meus