20 de fev de 2013

Fabricante coreana de tratores investe US$ 30 milhões no Brasil e morre de rir do 'instinto animal' da Casa Grande.


Agronegócio 

Fabricante coreana de tratores investe US$ 30 mi no Brasil



Felipe Peroni 

A previsão da empresa é de vender 600 unidades neste ano, mas pretende atingir fatia maior do mercado nos próximos anos 
A previsão da empresa é de vender 600 unidades neste ano, mas pretende atingir fatia maior do mercado nos próximos anos



Empresa pretende beneficiar-se dos programas governamentais para pequenos agricultores brasileiros, e produzirá exclusivamente tratores de baixa potência.

A sul-coreana LS Mtron, fabricante de máquinas e equipamentos, está trazendo sua divisão de tratores para o Brasil, e focará em pequenos produtores para conquistar mercado.

Por ter surgido em um país com pequena extensão territorial, a empresa especializou-se em tratores de baixa potência, com até 100 cavalos, focada em pequenas propriedades. Aqui, a ideia é seguir a mesma linha.

Com investimento de US$ 30 milhões, a empresa está instalando uma fábrica em Santa Catarina, no município de Garuva. A unidade ficará pronta em julho, e terá capacidade de 5 mil unidades por ano.

"No Brasil, 70% do mercado de tratores é abaixo de 100 cavalos. Por isso é um país importante para nós", diz James Yoo, presidente da LS Mtron Brasil.

No Brasil, as principais culturas, soja e milho, são concentradas em propriedades grandes. O foco da empresa será buscar produtores de frutas, café, arroz e verduras.

Em pequenas propriedades, a empresa obtém um impulso das políticas do governo para agricultura familiar. O programa "Mais Alimentos", do Ministério de Desenvolvimento Agrícola (MDA), financia a compra de tratores de até 80 cavalos por pequenos agricultores, a juros reduzidos e prazos longos.

O desafio para a empresa será, até a inauguração da fábrica, em julho, fabricar os tratores com um índice de nacionalização superior a 60%, de forma que as máquinas possam ser enquadradas no programa.

O programa do governo está em vigor desde 2008, mas Yoo não acredita que o mercado esteja saturado. "Muitos produtores familiares ainda não conseguiram contratar financiamento", diz Yoo, que acredita em uma expansão do programa. "Até o ano passado, o mercado estava se mantendo."

Priorizando tratores menores, a companhia vê potencial para rápido crescimento. A LS Mtron se originou da LG Eletronics - hoje, as duas companhias não têm mais relação. Sua divisão de tratores, com faturamento anual em torno de US$ 264 milhões, só fabrica máquinas de menor potência, mas há projetos de fabricar unidades com capacidade superior.

Yoo garante que seus produtos serão bem recebidos. "Temos tido boa resposta dos agricultores nos testes que realizamos. 
Os agricultores notam que, para tratores com a mesma especificação, os nossos têm uma tração melhor", diz.

Segundo Yoo, o fato da empresa concentrar-se nesse segmento lhe dá vantagem comparativa. "As demais empresas guardam a melhor tecnologia para os tratores de maior porte. Nós colocamos todas as fichas nos pequenos", diz. A ideia, além disso, é abaixar o preço ao menos em um momento inicial.

A previsão da empresa é de faturar US$ 20 milhões no Brasil neste ano, com a venda de 600 unidades - uma fatia pequena para um mercado cujas vendas ultrapassaram 69 mil tratores em 2012.

Contudo, a empresa pretende chegar a 2017 com a quarta posição em participação de mercado. Com a nova fábrica operando em três turnos, a produção pode chegar a 15 mil tratores por ano.

"Criamos uma rede de 12 concessionárias exclusivas, contratando pessoas com experiência de mercado", diz. As vendas serão concentradas nas regiões Sudeste e Sul, sobretudo no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais e São Paulo.

Sintonia Fina

Nenhum comentário: