10 de jan de 2013

Zona euro tem quase 19 milhões de desempregados. E o PIG insiste em fazer terrorismo com a "recessão" brasileira

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!


A zona euro tinha em novembro passado 18,8 milhões de desempregados, enquanto a União Europeia ultrapassou pela primeira vez os 26 milhões. Portugal tem a terceira taxa de desemprego mais elevada da zona euro e da União Europeia e a Espanha tem quase um terço dos desempregados da zona euro (mais de 6 milhões).
Portugal é o terceiro país com mais desemprego na zona euro e na União Europeia - Foto de Paulete Matos

O Eurostat divulgou nesta terça feira os desastrosos números do desemprego na União Europeia, referentes ao mês de novembro de 2012.
O desemprego na zona euro atingiu o número record de 18,820 milhões de desempregados e a taxa oficial de 11,8%. Uma décima mais que no mês anterior e 1,2 pontos percentuais mais do que no mesmo mês do ano anterior.
Na União Europeia (UE) o desemprego ultrapassou pela primeira vez os 26 milhões de desempregados (26,061 milhões). A taxa oficial de desemprego da UE era de 10,7%, igual à do mês anterior e sete décimas acima do mesmo mês de 2011.
Nos primeiros onze meses de 2012, houve um aumento mensal de 113.000 desempregados na zona euro e de 154.000 na União Europeia.
A Espanha é o país com maior taxa de desemprego (26,6%) da zona euro e da UE, tendo ultrapassado os 6 milhões de desempregados (6.157.000).
A Grécia com 26% é o segundo país da zona euro e da UE com maior taxa de desemprego e tem 1.295.000 desempregados, segundo os números oficiais, inferiores à realidade, como se sabe.
Quanto a Portugal, e segundo o Eurostat, é o país da zona euro com a terceira maior taxa de desemprego com 16,3% em novembro de 2012, na taxa oficial, igual à do mês anterior e 2,2 pontos percentuais acima da taxa de novembro de 2011.
Taxa de desemprego na UE, por país (na imagem)

Acima da taxa de desemprego média da zona euro encontravam-se ainda Irlanda (14,6%), Eslováquia (14,5%), Letónia (14,1%), Hungria (14,1%), Chipre (14%), Lituânia (12,5%) e Bulgária (12,4%).
As taxas mais baixas da zona euro e da UE eram as da Áustria (4,5%), Luxemburgo (5,1%), Alemanha (5,4%) e Holanda (5,6%).
A taxa de desemprego entre os jovens com menos de 25 anos atingiu os 24,4% na zona euro e 23,7% na UE. Em novembro de 2012, a percentagem de jovens desempregados atinge 56,5% na Espanha, 57,6% na Grécia e 38,7% em Portugal. Na Itália, o desemprego jovem atingiu os 37,1%, o valor mais elevado desde 1992.
E quando a tragédia do desemprego cresce assustadoramente, o governo português só está preocupado, tal como a troika, em facilitar os despedimentos, querendo diminuir ainda mais a indemnização aos desempregados. Perante esta profunda crise, tais medidas só agravarão ainda mais o desemprego.
Sintonia Fina
- com Capacete

Nenhum comentário: