17 de jan de 2013

AÉCIO É O CANDIDATO DO JURO ALTO

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!


FHC atrai banqueiro como um imã. Ele é o presidente dos 45%.
Saiu na Folha:

EM DEFESA DE DILMA, MINISTRO ATACA AÉCIO


O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, partiu para o ataque contra a oposição e disse que o tucano Aécio Neves torce pelo “apagão” no fornecimento de energia e pelo “pibinho” – baixo crescimento da economia.

“Há vários banqueiros na equipe dele, é o partido do juro alto. Ele reúne a velha guarda de economistas com uma receita velha: imposto alto, juros altos e corte de gasto, com os programas sociais indo para o vinagre.”
****
O ministro Paulo Bernardo não é muito chegado a uma Ley de Medios.
Ele ou a Presidenta ?
Mas, ele é bom de desaforo.
Foi ele quem chamou o Farol de Alexandria de Salieri.
Perfeito !
Salieri é aquele compositor medíocre que, de inveja, envenenou Mozart.
De fato, o Bernardo, aí, tem razão.
Dizem que o FHC, agora investido na função de guru e mentor do Aécio, promove encontros com banqueiros em Higienópolis e com economistas de bancos em reuniões com Ronaldo, o Fenômeno, no apartamento de Aécio (no Rio).
Esses economistas de bancos formularam um programa bem popular para o Aécio: imbatível num comício no Alemão.
Como se sabe, Fernando Henrique é aquele presidente dos juros de 45%.
Do Governo que oferecia aos bancos o que eles mais queriam: juros.
E fez a Privataria, outro item da agenda dos bancos.
Com o Brasil quebrado – FHC levou o Brasil ao FMI três vezes – os bancos impuseram o programa de privataria.
Para vender o Banco do Brasil e a Petrobrax aos clientes AAA e ganhar a comissão de corretagem.
Dilma reduziu os juros.
Agora, segundo o Valor, o PiG (**) cheiroso, acontece outra tragédia: a remuneração do CDI está abaixo da taxa Selic, que o Tombini manteve em 7,25%, a mais baixa da História !
Claro que os banqueiros e seus consultores – onde se incluem Urubólogos de maneira geral – correm em direção ao Aécio.
Só tem um problema: o Aécio não passa de Juiz e Fora.




Paulo Henrique Amorim
Sintonia Fina


Nenhum comentário: