18 de set de 2012

A vingança das elites

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG- Partido da Imprensa Golpista) não mostra!



Dirceu e Genoíno: as elites não perdoam, matam

Em 1982, candidato a vereador em Jundiaí, tive a oportunidade de conhecer dois dos mais famosos réus do  processo do tal mensalão, o ex-ministro José Dirceu e o ex-presidente do PT José Genoino.

Dirceu já era na época dirigente partidário e a ele recorremos para saber se era possível lançar na cidade uma sublegenda - a legislação eleitoral de então permitia três por partido.
Genoino tentava se eleger, pela primeira vez, deputado federal.

No rápido contato com Dirceu deu para perceber que ele era, pela sua resposta ao nosso pedido, concordando com o lançamento da nossa chapa, um sujeito mais pragmático que dogmático. Explicamos que as chances eleitorais do PT em Jundiaí, então dominado pela sectarismo do agrupamento denominado Convergência Socialista - o PSTU de hoje -, eram nulas se o partido lançasse apenas o candidato do grupelho. Me lembro que a conversa foi na calçada mesmo, apressada, e que Dirceu, presidente do diretório estadual, topou na hora a formação dessa nossa chapa, que reunia gente de várias correntes ideológicas.

Nunca mais me encontrei com Dirceu, apenas acompanhei a sua trajetória como uma das mais expressivas lideranças do PT e da política nacional.

Quanto a Genoino, cruzei com ele várias vezes depois da campanha de 82, quando ele já era deputado e eu havia me mudado para São Paulo.

De temperamento efusivo, sempre trocávamos algumas palavras.

Hoje, pelo que li, Genoino está abatido, vive quase recluso e está com problemas de saúde.
Dirceu e Genoino foram duas das mais importantes lideranças do PT. Ajudaram, cada um ao seu modo, a construir um partido vitorioso, que mudou a cena política do país.
Lula não teria chegado onde chegou se não contasse com a ajuda deles e de tantos outros parlamentares e militantes.

Hoje, tanto Dirceu quanto Genoino estão na iminência de serem condenados nesse processo do tal mensalão.

O Supremo Tribunal Federal cumpre apenas um rito formal para dar ao julgamento um aspecto de seriedade: Dirceu e Genoino já foram julgados e condenados pela oligarquia nativa, que controla os meios de comunicação e o sistema judiciário.

O processo a que respondem nada mais é que um capítulo da longa batalha que esses oligarcas travam para exterminar o PT e todos os que transformaram seus ideais em projetos concretos que estão mudando o país.

Dirceu e Genoino serão condenados não por serem réus do tal mensalão, mas sim por terem ousado desafiar uma das mais retrógadas e cruéis elites do mundo.

Cumprirão penas não por serem criminosos, mas sim pelo sucesso que tiveram nas suas carreiras e nos papéis que se dispuseram a desempenhar em suas vidas.
A sua condenação não será um ato de justiça, mas sim de justiçamento.


Sintonia Fina
- com Crônicas do Motta

Nenhum comentário: