16 de jun de 2012

PIG defende Dantas e Gilmar

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!

Por Paulo Henrique Amorim, no blog Conversa Afiada:

Foi o Franklin Martins quem disse que o PiG preza muito a sua “independência”, porque prefere ser dependente do Daniel Dantas.

O amigo navegante acompanhou o noticiário desta quinta-feira, quando Daniel Dantas recebeu o Oscar da Corrupção, conferido por uma instituiçãozinha de segunda linha, um banquinho de Província na Brogúncia, um tal de Banco Mundial.


O amigo navegante viu também que o Vasco, navegante de longo curso, se perguntou se o Merval não ia entrevistar o Gilmar sobre o Oscar da Corrupção.

Logo ele, Gilmar, que deu dois HCs ao Dantas, em 48 horas, ao ignorar um vídeo que comprova que Dantas tentou passar bola a agente da Polícia Federal.

Pois, foi exatamente essa “passação“ de bola que o Gilmar ignorou um dos atributos que conferiram a Dantas a estatueta do Oscar da Corrupção, segundo essa desmoralizada instituição, o Banco Mundial.

O Gilmar ignorou e o Banco Mundial, não.

Viva o Brasil!

Aí, vem o PiG de hoje sobre o Oscar.

O Globo não diz nada.

(Por que o silêncio do Globo em relação ao Dantas, se o Dantas, comprovadamente, grampeou a Globo ? Por que ? Estranho, não, amigo navegante?)

A Folha não diz nada.

E o Estadão DEFENDE o Dantas e o Gilmar !!!

Não acredita, amigo navegante ?

Pois, então leia (com o nariz tapado):

"O banqueiro Daniel Dantas também é citado no banco de dados criado pelo Banco Mundial pelo caso do Grupo Opportunity, em 2008, quando teve US$ 46 milhões bloqueados em contas do Reino Unido. Em nota, o Opportunity afirma que esse relatório é datado de 2008 e está desatualizado. “Em 2008, a farsa da Satiagraha ainda não havia sido desmascarada em toda a sua extensão…”
(…)

Perceba, amigo navegante, que a Debora Alvarez, intrépida repórter do Estadão, que assina a “reportagem”, omite a “passação” de bola “perdoada” ou solenemente ignorada pelo Gilmar Dantas.

Na hora de enumerar os atributos do Dantas para receber o Nobel da Roubalheira, ela se esquece do principal.

E de um “principal” que macula irremediavelmente a reputação de um juiz da Suprema Corte!

Não é pouca omissão, não é isso, amigo navegante?

Quanto à “farsa” da Satiagraha, é preciso ver o que dirá o Supremo Tribunal Federal, assim, que concluir o julgamento do mensalão tucano de Minas Gerais.

Este ansioso blogueiro quer ver o Supremo anular a Satiagraha.

Quer ver o Supremo Tribunal Federal, com as próprias mãos, manter solto o ganhador do Oscar da Corrupção, o passador de bola apanhado no ato de passar bola (segundo o Banco Mundial).

Como diz o ansioso blogueiro, o PiG, os mervais se perdem na poeira do tempo.

Os votos do Supremo ficam gravados em pedra, na memória indelével da História.
Sintonia Fina 

Nenhum comentário: