27 de jun de 2012

INADIMPLÊNCIA? URUBÓLOGA PARA O PROGRAMA DA FÁTIMA!

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!


O Sintonia Fina reproduz texto do Conversa Afiada


A inadimplência (6%) não assusta ninguém. É apenas uma desculpa dos bancos para não reduzir mais os spreads. 


Se o amigo navegante teve o desprazer de assistir à Urubóloga no Bom (?) Dia Brasil, terá percebido que ela substituiu um alarmismo por outro.


Na Rio+20 foi o aquecimento da Terra, que a Dilma não conseguiu impedir, porque não teve audácia.


A Terra vai derreter e as calotas polares vão se fundir junto.



Passada a Rio+20 e antes que se chegue a um esfriamento da Terra – previsto pelos melhores cientistas -  a Urubóloga, agora, dissemina um novo pânico: a inadimplência.



É um blefe.


A inadimplência não assusta ninguém.


É apenas uma desculpa dos bancos para não reduzir mais os spreads.


E, como sempre, o PiG (*) dança o minueto dos bancos.


A nota sobre Política Monetária e Operações de Crédito em maio de 2012 do Banco Central, divulgada nesta terça-feira, não revela o mais longínquo temor com a inadimplência.


Faz uma única observação:


A inadimplência do crédito referencial, considerados os atrasos superiores a noventa dias, alcançou 6% em maio, após elevação de 0,1 p.p. no mês. A taxa relativa às operações com pessoas físicas subiu 0,2 p.p., atingindo 8%, enquanto a de pessoas jurídicas permaneceu estável em 4,1%.


Nada de anormal.


Nada de excepcional.


A rigor, a inadimplência está em queda.


E a expansão do crédito no Brasil se dá segundo regras muito mais rígidas que as internacionais.


A inadimplência não é nada que abale a estrutura do sistema bancário ou das famílias.


O crédito que mais cresce é o habitacional, onde a inadimplência é baixíssima.


Veja, amigo navegante, o que é fundamental, na análise do Banco Central – e foi devidamente subestimado pelo alarmismo piguento (*): 


- o crédito subiu 18% em doze meses;


- a relação crédito/PIB chegou a 50,1% ! (era de 30% nos sombrios anos FHC/Cerra)


Ou seja, o Brasil empresta mais e as pessoas e as empresas tomam mais emprestado.


Que horror !


- os empréstimos destinados à pessoa física,  por causa do crédito pessoal – cresceram 15% em doze meses;


- o crédito habitacional – com dinheiro da poupança e do FGTS – subiu 42%.


Isso, sim, é que é um horror !!!


A taxa média de juros caiu 7% em relação a maio do ano passado: “É O MENOR PATAMAR REGISTRADO NA SÉRIE HISTÓRICA INICIADA EM JUNHO DE 2000”, 
diz a nota do Banco Central.


Foi aí que a Urubóloga cortou os pulsos !


- Os spreads,  com “inadimplência” e tudo, caíram 2,4 pontos percentuais nos empréstimos a pessoas físicas.




Sintonia Fina

Nenhum comentário: