11 de mai de 2012

Rudolgo Lago, do Congresso em Foco, ultrapassa o limite do mau-caratismo

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!


Relator do STF divide "organização criminosa" do mensalão em 3 núcleos

O negócio do PiG é melar a CPI do Cachoeira mesmo.Depois de Roberto Engavetador Gurgel, Álvaro Botox Dias, Sérgio Anão do Orlamento Guerra, Gilmar Dantas Mendes afirmarem que a CPI do Cachoeira servirá para atrapalhar o julgamento do mensalão, o PiG, desenvergonhosamente, cai em campo para chancelar este argumento tosco.O Congresso em Foco, que passou mais de 40 dias para divulgar o Esquema Demóstenes-Cachoeira, mesmo se dizendo um site fiscalizador do Congresso Nacional, no dia de hoje ultrapassa o limite do jornalismo de esgoto ao publicar matéria sobre o processo do mensalão.

Escreve o senhor Rudolfo Lago, editor do mencionado site:"O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa divulgou hoje (10) seu relatório com um resumo do processo do mensalão. O relatório de Joaquim Barbosa, que acolhe a denúncia da Procuradoria Geral da República contra 38 réus envolvidos com o esquema, tem 122 páginas e descreve como agiu a “sofisticada organização criminosa”, como classifica a denúncia do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, para “garantir a continuidade do projeto poder do Partido dos Trabalhadores, mediante a compra de suporte político de outros partidos”.Não há nenhuma novidade nisso, a não ser o mau-caratismo do senhor Rudolfo Lago.Primeiro, a denúncia do mensalão não foi oferecida por Roberto Gurgel, nem foi recebida agora por Joaquim Barbosa. A denúncia do mensalão foi oferecida por Antônio de Souza e recebida, há uns três anos, pelo Supremo Tribunal Federal.Não foi Barbosa, como afirma esse bandido do Congresso em Foco, quem recebeu a denúncia.Ou Rudolfo Lago é mau-caráter ou é burro, ou as duas coisas juntas.

Continua escrevendo o escroque:"Inicialmente, a denúncia feita por Roberto Gurgel era contra 40 pessoas. Mas o ex-secretário-geral do PT Sílvio Pereira foi afastado por ter colaborado com as coesstigações e o ex-deputado José Janene (PP-SP) morreu.Como dito no parágrafo anterio, não foi Roberto Gurgel quem ofereceu a denúncia.Só essa anta do Congresso em Foco afirma isso.

De acordo com a denúncia, a “sofisticada organização criminosa” era “dividida em setores de atuação”, e “se estruturou profissionalmente para a prática de crimes como peculato, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, gestão fraudulenta, além das mais diversas formas de fraude”. Os réus são divididos em grupos. O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, Sílvio Pereira e o ex-presidente do PT José Genoino foram o primeiro grupo, que, para garantir o projeto de poder do PT, criou um esquema para comprar “suporte político” de outros partidos e garantir o financiamento de suas campanhas eleitorais.Não há, também, nenhuma novidade nisso.Antônio de Souza foi quem dividiu a denúncia em três núcleos, não foi Joaquim Barbosa quem dividiu.


 
Como se vê, não há nada, nadinha, de novo no processo do mensalão.Tudo que o PiG publica hoje é de conhecimento de toda a sociedade brasileira.O  PiG usa a mesma tática de Goobels para enganar a sociedade.
 
 
Sintonia Fina
- com O Terror do Nordeste

Nenhum comentário: