14 de mai de 2012

Os próximos passos da CPMI

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!


Luis Nassif

Dependendo do bloco governista, a CPMI de Cachoeira pretende caminhar em três linhas:




1. Governo de Goiás, depois que se formou convicção de que o crime organizado conseguiu o controle do Estado.

2. Convocação da subprocuradora Cláudia Sampaio, esposa do Procurador Geral Roberto Gurgel, para que explique o abandono da Operação Las Vegas.

3. Convocação do jornalista Policarpo Jr. Terá que explicar porque, por mais de dez anos, não apenas escondeu as ligações entre Demóstenes Torres e Cachoeira, como participou do processo de endeusamento do senador. Há convicção de que servia à quadrilha e servia-se dela.

A ideia dos parlamentares é aguardar mais tempo a fim de que a CPMI possa dispor de todas as escutas e materiais levantados. Até agora o que foi divulgado foi apenas a parte do material que serve de base para as Operações Vegas, Monte Carlo e para a representação do Ministério Público Federal. Ou seja, grampos e documentos referentes apenas às pessoas diretamente investigadas - Carlinhos Cachoeirta e outros bicheiros. Então, é um material bastante limitado. Ficaram de fora, por exemplo, todas as conversas com jornalistas.

Na CPMI considera-se que, no momento, os advogados dos réus têm mais material do que os próprios parlamentares.

O caso Gurgel

O caso Gurgel será o mais polêmico.

A Operação Las Vegas investigava políticos e não políticos. Ao bater em parlamentares, o juiz de primeira instância pediu autorização para o STF (Supremo Tribunal Federal). O pedido foi encaminhado através da PGR (Procuradora Geral da República).

Gurgel tinha três caminhos a seguir:

Podia arquivar o inquérito, por insuficiente.

Podia desmembrar, liberando as investigações para os réus sem foro especial.

Podia solicitar mais investigações, caso considerasse as provas insuficientes.

Ao não agir, paralisou toda a investigação.

Mesmo assim, é cedo para qualquer acusação contra o procurador ou membros do STF.


Ao não agir, paralisou toda a investigação.

Mesmo assim, é cedo para qualquer acusação contra o procurador ou membros do STF.



Sintonia Fina
- com O Esquerdopata

Nenhum comentário: