20 de mar de 2012

Papel que assinei não valia nada, afirma Serra

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!


Tucano agora minimiza ter quebrado promessa de não deixar a prefeitura
‘Assinei um papelzinho, não era nada’, afirma ex-prefeito sobre o documento que firmou em sabatina da Folha
 
Pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra minimizou ontem o fato de ter deixado o cargo de prefeito em 2006 mesmo tendo assinado um documento no qual se comprometia a cumprir todo o seu mandato.
“Não era nada oficial”, disse, apenas “um papelzinho”.
 
Serra assinou o documento se comprometendo a permanecer à frente da Prefeitura de São Paulo por todo o seu mandato no dia 14 de setembro de 2004, em sabatina promovida pela Folha, diante de uma plateia de 300 pessoas.
Na ocasião, disse que preferia não assinar -”Minha palavra basta”-, mas queria estancar as especulações.
 
Dois anos depois, em 2006, deixou a prefeitura para disputar o governo do Estado.
Ontem, em entrevista à rádio Capital, ele declarou: “Primeiro: eu não assinei nada em cartório. Isso é folclore. Houve um debate, uma entrevista. O pessoal perguntou: ‘Se o senhor for eleito prefeito vai sair para se candidatar à Presidência?’ Eu disse não. ‘Então assina aqui.’ Eu assinei um papelzinho. Não era nada”, afirmou.
 
Serra - que ontem completou 70 anos - disse que foi muito pressionado a disputar o governo estadual em 2006: “O pessoal achou que o Estado ficava em má situação com os candidatos que se apresentavam na época. Fui muito pressionado a sair. E a população votou em mim”.
 
Em razão das prévias do PSDB no domingo, Serra dobrou sua agenda pública. O ritmo será mantido até sexta e só foi aliviado ontem, para comemorar seu aniversário.
 
 




Sintonia Fina
- Com Texto Livre

Nenhum comentário: