11 de dez de 2011

O silêncio dos COVARDES e nem tão inocentes



Crônicas do Motta

No começo da semana que passou, o ex-governador paulista e ex-candidato à Presidência da República José Serra foi destaque nos portais da internet - e provavelmente nos jornais impressos, que hoje leio tão pouco. Os títulos das notícias não poderiam ser mais expressivos. Serra mereceu tratamento de grande liderança política, imprescindível para o futuro da nação:

"Serra acha difícil Brasil conseguir cadeira no CS da ONU"
"Serra: Pimentel 'não está acima de qualquer suspeita'"
"Governo Dilma ainda não começou, diz Serra"
"Para Serra, grampo no PSDB é 'gravíssimo'"
"'Drama do atual governo é não saber para onde vai’, critica Serra"
"Serra considera grave notícia de que PSDB foi grampeado"


Nenhuma referência ao livro-bomba lançado pelo jornalista Amaury Ribeiro Jr., "A Privataria Tucana", no qual Serra é destaque.
Estranho isso, né?
Ah! Hoje leio que, segundo o Datafolha, Serra tem a maior rejeição entre os candidatos à Prefeitura de São Paulo, simplesmente o dobro de suas intenções de voto. Isso um ano depois de ele ter concorrido à presidência.
Ou seja, Serra agora é um político absolutamente irrelevante no quadro nacional.
Não sei não, mas alguma coisa anda muito errada com esta nossa imprensa...

 

Sintonia Fina via O Esquerdopata


"O jornalismo é, antes de tudo e sobretudo, a prática diária da inteligência e o exercício cotidiano do caráter"
(Cláudio Abramo)

Nenhum comentário: