7 de nov de 2011

Haddad explica por que a elite de SP odeia o ENEM



Saiu no Valor, pág. A8 :

Haddad diz que Enem será sua “grande bandeira” em SP


Por Cristiane Agostine | Valor


SÃO PAULO – O ministro da Educação, Fernando Haddad (PT), disse hoje que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será uma “grande bandeira” de sua eventual campanha na disputa pela Prefeitura de São Paulo em 2012. O pré-candidato petista minimizou os problemas que marcaram a avaliação nos últimos três anos. Segundo Haddad, foram atos criminosos, e não falhas do ministério.


“O Enem será uma grande bandeira”, declarou o ministro na manhã de hoje, pouco antes de participar de um encontro do PT com a militância, em Guaianases, na zona leste da capital paulista. “Hoje o jovem de baixa renda tem acesso à educação superior por causa do Enem. Como é que vai obter uma bolsa do Prouni sem o Enem? Como vai para uma federal?”, afirmou Haddad, ao ser questionado sobre os problemas envolvendo a avaliação. “O Enem não é problema, mas sim a solução”, comentaram correligionários de Haddad, ao lado do ministro.


Na campanha, o ministro pretende mostrar o exame nacional como uma forma de ampliar o acesso da população mais carente ao ensino superior. “O paulistano tinha 10 mil vagas na USP, com 75% dessas vagas preenchidas por alunos da escola particular. Agora o jovem de escola pública tem 150 mil bolsas do Prouni e 150 mil bolsas das federais fazendo o Enem em São Paulo. Mudou a vida dele”, disse Haddad.


O ministro evitou falar sobre os problemas que marcaram o Enem em 2009, 2010 e 2011 e disse que não foram falhas de sua gestão à frente da Pasta . “O país não amadureceu ainda como um todo para perceber a grandeza desse projeto. Quando uma pessoa atenta contra um exame desses não percebe o mal que ele faz para um sistema que visa só melhorar as condições de vida da população”, declarou. “Crime, só combatendo”, afirmou Haddad.


Sintonia Fina

Nenhum comentário: