8 de set de 2013

7 de setembro teve derrota dos vândalos, ultra-direita e mídia golpista(PIG)

 

A conclusão, diz o deputado distrital (PT), só pode ser uma: "arruaceiros não têm legitimidade para atuar em nome da sociedade"; em nota, parlamentar afirma que "a grande massa os abandonou" neste feriado, que prometia, pelas redes sociais, ter "o maior protesto da história do Brasil"; o povo não quer "armar um palco de guerra", mas protestar "com propostas concretas", avalia Chico Vigilante...



Chico Vigilante
Deputado Distrital
Numa crítica aos Black Blocs e aos atos de vandalismo ocorridos durante as manifestações populares, o deputado distrital Chico Vigilante (PT-DF) comemorou, na noite deste feriado de Sete de Setembro, a derrota dos "heróis mascarados".


Em nota divulgada à imprensa, Chico afirma que eles demostraram vitória, ao longo do dia, ao enfrentar a polícia e ao depredar agências bancárias ou, no caso de São Paulo, a Câmara Municipal, uma vergonha "para nós".



O parlamentar conclui que a explicação para esse cenário de fracasso para o que chama de "ação inconsequente" só pode ser uma: o povo quer protestar com propostas concretas, e não armar um palco de guerra. "Arruaceiros não têm legitimidade para atuar em nome da sociedade brasileira", diz.



Leia a íntegra de sua nota:



NOTA À IMPRENSA

O dia sete de setembro chega ao fim e o que pretendiam grupos como o Black bloc não se realizou. Foi frustada a expectativa deles de atuar como abre alas diante de milhares de pessoas pelas ruas - como heróis mascarados invadindo prédios públicos em imagens veiculadas pela mídia.

 

As manifestações que levaram mais de 200 mil pessoas no Rio e em São Paulo no mês de junho, não voltaram a se repetir. E sabemos porque: a maioria daqueles brasileiros que se manifestaram anteriormente não querem se aliar a este tipo de ação inconsequente e perigosa que se vislumbrava para o sete de setembro.



Inconformados com as comemorações oficiais ocorridas de forma pacífica, em Brasília e nas principais capitais do país, os vândalos começaram na parte da tarde a enfrentar a polícia e tentar alcançar alvos definidos como o estádio Mané Garrincha em Brasília, o Congresso Nacional, o Palácio Guanabara, no Rio de Janeiro, e a praça da Sé, em São Paulo.



Deixaram um rastro de destruição por onde passaram principalmente em São Paulo, com a depredação da Câmara Municipal e de várias agências bancárias quebradas e incendiadas.



Em total desrespeito aos símbolos nacionais, os Black Bloc arrancaram e incendiaram as bandeiras do Brasil e do estado do Rio, no Monumento a Zumbi dos Palmares, hasteando no lugar bandeiras negras. Para eles uma demonstração de vitória. Para nós, vergonha.



Insatisfeitos por não conseguir alcançar o estádio Mané Garricha, os manifestantes de Brasília ocuparam a Rodoviária e a Praça do Museu da República. Nos trajetos, depredações de carros, lojas, pessoas feridas, um repórter fotográfico gravemente ferido por um dos cachorros da polícia, rotwaillers e pastores alemães, com certeza nervosos no meio de bombas de gás lacrimogênio e sprays de pimenta. Muitos feridos e dezenas de detenções, de mascarados ou não, para averiguações.



A conclusão é uma só: arruaceiros não tem legitimidade para atuar em nome da sociedade brasileira. Sejam eles de direita ou de extrema esquerda, sem proposta política definida, não contribuem para o avanço social e político do país. Por isso a grande massa os abandonou. Eles são perigosos e espalham o medo. A sociedade quer se manifestar com propostas concretas e objetivos claros, não armar um palco de guerra, para desestabilizar o país.

A Sintonia Fina - @riltonsp


Nenhum comentário: