30 de ago de 2013

Folha protege Leréia (PSDB) que votou para salvar Donadon, e mente ao atacar Vicentinho e Jandira


O tucanismo corrupto do jornal Folha de São Paulo não tem limites.

Um dos articuladores do surpreendente "salva" do deputado Natan Donadon foi o deputado tucano Antônio Carlos Leréia (PSDB-GO), amigo assumido e declarado do bicheiro Carlinhos Cachoeira.






Leréia foi um dos poucos que cumprimentou efusivamente Donadon quando o deputado chegou na Câmara para fazer sua defesa antes da votação, sinalizando qual seria seu voto.

Está na cara qual é a jogada: Leréia também responde a processo por quebra de decoro parlamentar por suas relações com Cachoeira, e corre o risco de ser cassado assim como Donadon. Então já viu, né? Uma mão lava a outra, e os dois se safam (no caso de Donadon apenas simbolicamente, já que cassar ou não na Câmara não faz diferença prática nenhuma, pois ele continua cumprindo pena, continua afastado sem salário, e continuará inelegível por mais tempo do que se fosse apenas cassado pela Câmara).

A Folha mentiu e foi suja ao querer jogar a culpa em deputados honestos, como Vicentinho (PT) e Jandira Feghali (PCdoB), que não puderam ficar até o momento da votação. Havia quórum mais do que suficiente para votar e cassar Donadon e havia praticamente certeza de que seria cassado. Por causa disso Vicentinho viajou a São Paulo no fim do dia para a celebração dos 30 anos da CUT, entidade que ele foi um dos fundadores e presidente. Jandira, mesmo adoentada desde segunda-feira, ficou o quanto pôde na Câmara. Disse que não tinha mais condições físicas, agravadas desde final da tarde, para continuar no plenário.

Donadon teve 131 votos secretos a seu favor, e foram estes votou que "salvou" simbolicamente seu mandato. E é aí que entra a turma do contra de sempre, dos demotucanos maquiavélicos, que aproveitaram o voto secreto para "salvar" Donadon e jogar a culpa no PT. Ora, 67 deputados do PT votaram, e foi pela cassação, pois foi essa a determinação do partido, e seria um tiro no pé votar de outra forma, como foi um tiro no pé na imagem da própria Câmara o resultado final.

Mesmo os piores parlamentares são tudo, menos burros. Um ou outro vá lá ter votado por "solidariedade" a Donadon ou por interesse recíproco como é o caso de Leréia. Mas a grande maioria não iria queimar seu próprio filme dessa maneira, com o povo fazendo protestos em frente o Congresso e com eleições para enfrentar em 2014. O grosso dos 131 votos só pode ter sido de demotucanos, aliados da TV Globo, que apostam no "Quanto pior, melhor". É aquela velha turma saudosa de uma ditadura elitista para garantir privilégios e cartéis de bilionários como os donos da Globo e da Folha, oprimindo o povo para impedir de conquistar mais democratização econômica, com mais igualdade de renda e justiça social.

Um jornal decente teria ouvido os deputados Vicentinho e Jandira, e também não fingiria que não viu os cumprimentos do deputado Leréia (PSDB) a Donadon, praticamente homologando um acordão para se salvarem os dois.

Mas também para um jornalão que já foi capaz de publicar uma ficha falsa da presidenta Dilma feita por fãs da ditadura, não é de de surpreender que minta sobre deputados honestos para proteger os corruptos amigos do jornalão.



Nenhum comentário: