22 de jun de 2013

GLOBO COM MEDO DO POVO



NA MIRA, GLOBO REFORÇA SEGURANÇA DOS REPÓRTERES


Três seguranças por cada repórter que cobre os protestos; está é a ordem na Globo, que já teve Caco Barcellos hostilizado e Pedro Vedova atingido por uma bala de borracha...


Depois de ter tido um de seus principais repórteres, Caco Barcellos, hostilizado por manifestantes e um jornalista da GloboNews, Pedro Vedova, atingido por uma bala de borracha, a Globo decidiu contratar três seguranças para cada repórter que cobre as manifestações. As informações são da colunista Keila Jimenez, da Folha. Leia abaixo:
A ordem nas emissoras é não economizar com a cobertura ao vivo das manifestações espalhadas pelo país.
Os canais estão contratando escolta e segurança para seus repórteres e carros de reportagem.
A média é de dois ou três seguranças para cada repórter trabalhando nas ruas, nas transmissões ao vivo.
Além disso, há o aluguel de helicópteros, que custa de R$ 2.000 a R$ 3.000 por hora, e de equipamentos.
A mesma medida será adotada por outras emissoras. Leia, abaixo, reportagem , sobre a expulsão de Caco Barcellos de uma cobertura:
Protesto expulsa equipe da "Central Globo de Mentiras"
Equipe do jornalista Caco Barcellos foi impedida de acompanhar manifestação no Largo da Batata, em São Paulo; parte dos manifestantes, que já são 30 mil, se encaminha para a sede da Globo em São Paulo; transmissão da Globonews força a barra e tenta se apropriar da agenda dos protestos, incluindo temas de interesse da Globo, como a PEC 37
Sobrou também para a Rede Globo. Ou melhor, para a "Central Globo de Mentiras", segundo as palavras de ordem que foram proferidas nesta segunda-feira, em São Paulo. À tarde, uma equipe do jornalista Caco Barcellos, do programa Profissão Repórter, foi impedida de acompanhar os protestos no largo da Batata, na região da Faria Lima, em São Paulo.
Os manifestantes expulsaram o jornalita e seus repórteres com gritos de "Fora Globo" e "Central Globo de Mentiras". Uma parte dos 30 mil manifestantes em São Paulo se dirige à sede da Globo na capital paulista.
Na GloboNews, a âncora Leilane Neubarth tenta, a qualquer custo, vincular os protestos à PEC 37. Em editorial recente, o jornal O Globo condenou a iniciativa do Congresso de limitar poderes do Ministério Público, com a proposta de emenda constitucional. Forçando a barra, Leilane tem tentado associar os protestos à defesa que a Globo tem feito do MP. Segundo ela, os manifestantes que subiram no topo do Congresso Nacional estariam tentando pressionar parlamentares contra a PEC.
Patético.
SINTONIA FINA - @riltonsp  
com 247

Nenhum comentário: