10 de jun de 2013

Ex-técnico da CIA desmascara os EUA



Por Altamiro Borges

O vazamento de documentos que comprovam que o governo dos EUA espiona ligações telefônicas e dados da internet de milhões de pessoas desmascara de vez a falácia da “pátria da democracia”. O curioso é que as bombásticas informações foram repassadas ao jornal britânico Guardian por um ex-técnico da CIA. O jovem Edward Snowden, de 29 anos, foi assistente da central de inteligência e nos últimos quatro anos trabalhou na empresa Booz Allen Hamilton, que presta serviços à famigerada Agência Nacional de Segurança (NSA). Devido a sua coragem, agora Snowden corre sério perigo – a exemplo do soldado Bradley Manning, que está preso por vazar documentos para o WikiLeaks.


Conforme aponta o repórter Glenn Greenwald, do jornal Guardian, “Snowden entrará para a história como um dos denunciantes cujos atos tiveram as maiores consequências nos círculos de poder dos EUA, ao lado de Daniel Ellsberg (que trouxe a público os Papéis do Pentágono, sobre a Guerra do Vietnã, em 1971) e Bradley Manning (responsável por vazar informações confidenciais do governo americano ao WikiLeaks, em 2010)”. O jornalista relata que o ex-técnico da CIA já sabia das perigosas consequências da sua iniciativa. Ele mesmo solicitou que fosse divulgado o seu nome, até como forma de proteção e para evitar que a grave denúncia seja desvirtuada pela mídia.

“Após dias de entrevistas, o ‘Guardian’ divulga sua identidade a pedido do próprio Snowden. A partir do momento em que decidiu levar a público documentos ultrassecretos, ele resolveu não optar pelo anonimato. ‘Não tenho nenhuma intenção de ocultar quem sou, porque sei que não fiz nada de errado’. Numa nota que acompanhou o primeiro conjunto de documentos que ofereceu, Snowden escreveu: ‘Estou ciente de que serei punido por meus atos’. ‘Me darei por satisfeito se a aliança entre leis secretas, perdões desiguais e poderes executivos irresistíveis que rege o mundo que amo for revelada publicamente, nem que seja por um instante’”.

As denúncias do ex-técnico da CIA colocam o governo Obama na parede. “Nós hackeamos todo mundo em qualquer lugar”, garante Snowden. Três semanas antes da eclosão do escândalo, ele copiou o último conjunto de documentos no escritório da NSA no Havaí, onde estava operando. Na sequência, pediu afastamento do trabalho para tratar da saúde e embarcou para Hong Kong, “onde permanece desde então em um hotel”. Segundo o Guardian, “os EUA podem iniciar o pedido de extradição contra Snowden”, que planeja pedir asilo “em um país com valores que compartilho" - ele citou a Islândia como opção. Não será nada tranquilo o seu futuro!

SINTONIA FINA - @riltonsp 

Um comentário:

Apelido disponível: Sala Fério disse...

Quer apostar que daqui a pouco vai estourar alguma denúncia contra o ex-agente, dando conta que ele teria estuprado alguém ou deixado de pagar impostos? Não duvido nada. A mídia sempre faz o papel sujo de tentar legitimar essas arbitrariedades e encobrir os erros dos poderosos.