20 de abr de 2013

John Kerry chefe diplomático Americano chama a América Latina de Quintal dos EUA.



image_preview
John Kerry disse que a América Latina é quintal dos EUA no Congresso Americano.
Traduzido por Falandoverdades do site  Telesur.
O secretário de Estado Norte Americano,John Kerry, qualificou  nesta quinta feira a América Latina como “Quintal dos Estados Unidos”  e não como uma região vizinha soberana e independente em que abrigam diferentes nacionalidades,com diferentes idéias,tendências sociais,econômicas e culturais.

Em um discurso feito perante o Comitê de Assuntos Exteriores da Camara de Representantes,Kerry tentou sublinhar a importância que tem que envolver uma “maior aproximação com a América Latina” pois ela seria o “quintal dos EUA”.
Diante disso adiantou que tem planos em um futuro próximo de viajar ao Brasil  e a Colômbia,assim como confirmou a visita de Obama ao México e a Costa Rica no mês de maio.
“América Latina é nosso quintal(…) temos que nos aproximar deles de maneira vigorosa” disse o chefe da diplomacia estadunidense ,exortando a administração de Obama a fazer um esforço especial de ‘aproximação” com os países latino americanos.
“Faremos o nosso melhor possível  para tentar mudar a atitude de um número de nações, onde, obviamente, tivemos  uma espécie de ruptura nos últimos anos.” enfatizou.
Com suas declarações, Kerry revive a Doutrina Monroe que desde 1823 serviu de guia para as relações dos EUA com a América Latina.Sua visão é impor  a vontade e influência politica e econômica aos seus vizinhos do sul,eliminando qualquer indicio de resistência.
A Doutrina Monroe estabelece que se um país latino americano ameaça  ou põe perigo aos “direitos” ou propriedades  de cidadãos ou empresas norte americanas,então Washington se torna obrigada a intervir nos assuntos desse país para “reordenar”  e restabelecer os direitos e o patrimônio de seus cidadãos e suas empresas.
Eleições na Venezuela
Na audiência, Kerry foi interrogado sobre a eleição na Venezuela e respondeu :
“Tem que haver recontagem de votos”.
Estados Unidos ainda não reconhece Nicolás Maduro como presidente eleito da Venezuela,porque segundo os mesmos e sem possuir provas para tal afirmam ”  persitem duvidas sobre a legitimidade da eleição” e considera que “houve irregularidades”.
Kerry vai contra   á posição assumida por organismos regionais que reconheceram a legitimidade da eleição de Nicolás Maduro,a transparencia do processo eleitoral venezuelano.Entre os orgãos estão a OEA (Organização dos Estados Americanos) UNASUL (União das Nações Sul Americanas) Mercosul (Mercado Comum do Sul),entre outros.
Kerry também disse que não mandará uma delegação para representar os EUA ma posse de Nicólas Maduro, 15 países já confirmaram presença na posse : Argentina, Bolivia, Nicaragua, Uruguai, San Vicente y las Granadinas, Dominica, Equador, Haití, República Dominicana, Honduras, Irã, Arabia Saudita, Qatar, China e  Palestina.


Nenhum comentário: