22 de abr de 2013

A mídia e o mafioso eleito no Paraguai



Por Altamiro Borges


O bilionário Horácio Cartes é o novo presidente do Paraguai. A vitória do candidato do Partido Colorado foi anunciada no final da noite deste domingo (21) pelo ministro do Tribunal Superior de Justiça Eleitoral, Alberto Zambonini, quando mais de 80% dos votos já estavam apurados. O empresário liderava com 46% dos votos, seguindo pelo postulante do Partido Liberal Radical Autêntico (PLRA), Efrain Alegre, com 37% das preferências. A eleição de Horácio Cartes cria constrangimentos para a mídia colonizada do Brasil, que apoiou o golpe contra o ex-presidente Fernando Lugo e agora precisará conviver com um notório mafioso.



Horácio Cartes é dono de um conglomerado de 26 empresas – a maioria delas no ramo de cigarros –, e presidente do clube de futebol Libertad (atual campeão paraguaio). Um dos homens mais ricos do país, ele é acusado de ligações com o narcotráfico, contrabando e lavagem de dinheiro. Com a surpreendente vitória de Fernando Lugo em 2008, que colocou fim a 60 anos de hegemonia dos colorados, o empresário ganhou influência no partido em crise graças a sua fortuna. Ele passou a ser o principal financiador da legenda.

No final dos anos 1980, Horácio Cartes chegou a ser preso por crimes financeiros. Ele foi acusado de ter obtido dólares por um preço preferencial do Banco Central paraguaio para vendê-los na cotação paralela. O mafioso também foi alvo de um processo aberto pela Justiça brasileira por remessa ilegal de divisas, envolvendo o Banco Amambay, de sua família. Em 2004, a CPI da Pirataria mencionou o mafioso como contrabandista de cigarros para o Brasil através da empresa Tabesa.

Telegrama vazado pelo WikiLeaks, em 2010, revelou que Horácio Cartes integra um rede internacional de narcotráfico e lavagem de dinheiro. O mafioso vive cercado por seguranças e alimenta um misto de medo e fidelidade entre os seus subordinados. Segundo o ex-presidente Fernando Lugo, ele foi um dos principais mentores do golpe do ano passado. Na sua campanha para presidente, Horácio Cartes contou com o apoio dos latifundiários, de ricos empresários e de parte expressiva da mídia venal do Paraguai.

SINTONIA FINA - @riltonsp

Participe do Esquerda Censurada

Nenhum comentário: