4 de mar de 2013

PACOTE ELÉTRICO DE DILMA DERRUBA INFLAÇÃO


Presidente Dilma colhe primeira vitória de seu plano de redução de tarifas de energia; em fevereiro, contas mais baratas mostraram variação negativa de 5,44% na cesta de composição do IPC-Fipe na cidade de São Paulo; fator foi determinante para que índice de preços subisse 0,22% no mês ante um aumento de 1,15% em janeiro; dá para reclamar?

Marli Moreira
Repórter da Agência Brasil
Criticada pela oposição, mas saudado por empresários e consumidores residenciais, o plano de redução nas tarifas de energia elétrica colocado em prática pelo governo foi o grande elemento para derrubar a taxa de inflação na maior cidade do Pais. Medido pela Fipe, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) em São Paulo teve alta de 0,22% em fevereiro, ante um aumento de 1,15% em janeiro. A redução teve como maior contribuição a queda de 5,44% no valor das tarifas de energia elétrica durante o mês. A baixa no preço da carne bovina, de 1,91% no período, foi o segundo elemento a mais influir no índice.
Ao anunciar, em janeiro, o plano de redução de tarifas, em rede nacional de televisão, a presidente Dilma Rousseff foi criticada pelos partidos de oposição. Até uma representação à Justiça foi entregue como questionamento pelo que se considerou o uso político da formação de rede. Antes, as empresas geradores de energia dos Estados de São Paulo, Paraná e Minas Gerais, governados por políticos eleitos pelo PSDB, se recusaram a aderir aos termos dos novos contratos propostos pelo governo federal.
Apesar das dificuldades, no entanto, o governo levou adiante o plano e, agora, mesmo sob a permanência de crítica pontuais, colhe como resultado uma forte redução no índice inflacionário da maior capital brasileira.
Abaixo, notícia da Agência Brasil sobre o IPC-Fipe de São Paulo, divulgado nesta segunda-feira 4:

SINTONIA FINA


Nenhum comentário: