28 de fev de 2013

Lula é ovacionado no Maracanã....

Ao lado de Cabral e Pezão, Lula visita o Maracanã

 

Depois de um conflito entre PT e PMDB relacionado à disputa pelo governo do Rio de Janeiro, o ex-presidente aparece sorridente ao lado do governador peemedebista Sérgio Cabral (foto) e do vice, Luiz Fernando Pezão, em visita à capital fluminense, nesta quarta-feira, e ao estádio do Maracanã, nesta quinta, onde foi ovacionado pelos operários...

 *****

 Em meio a um embate político entre PT e PMDB sobre as eleições ao governo do Rio de Janeiro, o ex-presidente Lula fez nesta manhã uma visita surpresa ao estádio do Maracanã, ao lado do governador Sérgio Cabral (PMDB).

No local, o petista discursou, foi ovacionado pelos operários e prometeu ir ao jogo de reabertura do estádio após a reforma, em 2 de junho (entre Brasil e Inglaterra), para bater palmas não apenas para a seleção brasileira, segundo ele, mas também para os trabalhadores.

Em seu discurso, Lula lembrou que "estamos vivendo um momento novo no Brasil" e que "evoluímos muito" na questão trabalhista. "Nós vivemos em um momento em que não é proibido pedir e reivindicar. Nós conquistamos o direito de andar de cabeça erguida nesse país. Agora, nós governantes temos que compreender que a democracia será consolidada quando os trabalhadores tiverem um padrão de vida decente e digno", acrescentou.


"Hoje, vim aqui olhar na cara de vocês e dizer que na estreia estarei aqui e não irei bater palma apenas para a seleção brasileira, mas também para os trabalhadores. O Maracanã não é um estádio, é uma casa de espetáculo e precisa ser feita com carinho. Saiu daqui convencido que nós estaremos aqui em junho. Que Deus abençoe vocês", disse Lula, sob aplausos. Também acompanhou a visita o vice-governador e coordenador de Infraestrutura do Estado, Luiz Fernando Pezão, candidato do PMDB no ano que vem.

Candidatura interditada?
As eleições ao governo do Rio tornaram desconfortável a relação entre PT e PMDB nos últimos dias. Por meio de nota, os peemedebistas cobraram dos petistas apoio ao candidato Pezão, ressaltando que são "fiéis" à aliança entre as legendas no âmbito federal – da presidente Dilma Rousseff com o vice-presidente Michel Temer. Enquanto isso, o PT bate o pé sobre lançar o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), que por sinal, se mostrou indignado com a pressão do PMDB.

Nesta quarta-feira, o presidente do PT, Rui Falcão, reafirmou que a candidatura de Lindbergh é "para valer" e que o partido não pensa em desistir de lançar seu nome. Em artigo, o jornalista da Folha de S.Paulo Josias de Souza descreve os afagos de Lula a Cabral em visita ao Rio nesta quarta-feira, enquanto o conflito ainda era quente. "Dois dias depois da divulgação de uma nota tóxica do PMDB contra os planos políticos de Lindbergh, Lula voou para o Rio. Foi visto de sorrisos e afagos não com o companheiro de seu partido, mas com o pemedebê Cabral".

Estaria ele pronto para interditar a candidatura petista no Estado, como já ocorreu antes com Anthony Garotinho e com o próprio Sérgio Cabral?

 

Sintonia Fina

- 247

Nenhum comentário: