8 de jan de 2013

Serra avalia deixar o PSDB para disputar a Presidência

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!


Todos os blogs democráticos já sabiam e já tinham informado. 

A imprensa brasileira está bebendo as nossas notícias. O que prova que a intenção de Serra era largar a prefeitura de São Paulo pela segunda vez, caso fosse eleito. 

Esse é o PSDB.




CATIA SEABRA
BRASÍLIA
Queixando-se de isolamento dentro do PSDB, o ex-governador José Serra avalia com apoiadores sair da sigla para viabilizar sua candidatura à Presidência da República em 2014. 

Segundo aliados, ele ainda não desistiu do sonho de chegar ao Palácio do Planalto, nem que para isso tenha de se filiar a outro partido. 

Apesar das dificuldades operacionais, não foi descartada a fundação de uma nova sigla, a exemplo do PSD do ex-prefeito Gilberto Kassab.

A hipótese de mudança foi objeto de discussão nos últimos dois meses, após derrota de Serra na disputa pela Prefeitura de São Paulo. 

Dentro do PSDB, o nome mais forte hoje para disputar a Presidência é o do senador Aécio Neves (MG), que é rival de Serra internamente.

Alguns serristas, porém, aconselham o tucano a permanecer na sigla e disputar a indicação com Aécio. 

PRAZOS 
Uma possível filiação de Serra a outro partido teria que acontecer até outubro --um ano antes das eleições. 
Hoje, no entanto, o único abrigo disponível seria o diminuto PPS (13ª bancada da Câmara). Ainda assim, Serra enfrentaria resistência da ala que defende aproximação com Dilma Rousseff. 

Presidente nacional do PPS, Roberto Freire (SP) conta que, desde o ano passado, discute com Serra o projeto de criação de um outro partido. "Poderíamos criar uma nova sigla. Isso foi conversado com Serra", admite Freire, reconhecendo que a disputa pela Presidência ainda está em seu horizonte. 

"Serra continua ativo." 

Editoria de Arte/Folhapress

Já neste ano, após passar as festas do fim de ano na Bahia, Serra recebeu Freire para uma análise do cenário nacional. Para Freire, é desnecessário discutir a mudança agora. "Enquanto ele não decidir efetivamente [se é candidato], não adianta." 

Ainda segundo tucanos, Serra avisa que vai submergir até depois do Carnaval. Um de seus principais apoiadores --que foi seu vice no governo de São Paulo--, Alberto Goldman afirma que ele só deverá tomar uma decisão depois de maio, mês em que ocorrerá a eleição da nova Direção Nacional do PSDB. 

Caso seu grupo saia enfraquecido da disputa, aumentam as chances de ele abandonar a legenda. 
Segundo Goldman, a troca de partido já foi discutida. Mas ele "espera passar o tempo". "Serra não pendurou as chuteiras. Está ouvindo os aliados", diz Goldman. 

"Serra ainda não verbaliza. O fato é que ele está amadurecendo. Teve 45% dos votos, tem capital", acrescenta. 
A hipótese de mudança não conta, porém, com adesão de todos os serristas. Aliados dizem não haver sigla com estrutura suficiente para uma campanha à Presidência nem tempo hábil para a criação de uma nova. 
O ideal, argumentam, é que Serra tente se fortalecer dentro do PSDB como alternativa a Aécio. 

Folha não conseguiu falar ontem com o ex-governador, que é fundador do PSDB. 

Sintonia Fina

Um comentário:

llManuh disse...

E onde fica a fidelidade partidária? E onde fica a seriedade desse partido rachado por interesses individuais?
Não faz nenhuma diferença, nem Serra nem Aécio tem a menor chance de ser eleito.
E ainda tem quem vote nesses crápulas sem dignidade, sem seriedade, sem projetos para o país, que nos cansam com essas eternas guerras de vaidade?
Que tal alguma vergonha na cara, Serra?
Quando Serra foi o candidato do PSDB na eleição passada e perdeu, Aécio teve que engolir a derrota, mas se fortaleceu com a ilusão de que tudo poderia ser diferente com ele. Que tal permitir que ele quebre a cara dessa vez e enquanto isso procurar alguma coisa decente para fazer, que lhe dê alguma dignidade na sua longa vidinha inutil e vergonhosa dedicada a brigas, fofocas, dossiês, auto promoção e barracos?
Morra, Serra, faz esse favor para o Brasil!
Beijos meus