31 de jan de 2013

COM MEDO DA PRISÃO, AZEREDO VÊ STF COMO "DURO"

Ao falar sobre o julgamento da Ação Penal 470, deputado mineiro afirma que "houve certa discrepância em relação a outros crimes". Como réu do chamado "mensalão mineiro", tucano diz, em sua primeira entrevista após o mensalão, concedida à revista Encontro, que os processos são "totalmente diferentes" e que "confia na Justiça"

O deputado mineiro Eduardo Azeredo (PSDB) viu, no ano passado, líderes petistas serem condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento da Ação Penal 470, o "mensalão". Réu no processo apelidado de "mensalão mineiro", ele pode ser o próximo. E com receio de ir para a prisão, afirma que o tribunal foi "duro demais" com os acusados.
Na primeira entrevista concedida depois do término do julgamento, à revista mineira "Encontro", o tucano chega a comparar a pena recebida pela jovem Suzane Richthofen – que, acusada de planejar a morte dos pais, foi condenada a 39 de anos – com a dos condenados. "
Ela proporcionalmente teve uma pena menor do que alguns envolvidos no mensalão", diz.
A conversa aborda ainda as eleições presidenciais de 2014, a disputa interna do PSDB pelo candidato a ser lançado, seu mandato como deputado, o governo de Dilma Rousseff e o futuro do Brasil. 

Sintonia Fina
- com 247


Nenhum comentário: