4 de dez de 2012

Até Onde Vai a Coragem dos Valentões do Teclado?

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!


POR JOSÉ ANTÓNIO BAÇO

Processa, Lula!

Uma das maiores dificuldades que tive  (e acho que os outros integrantes do blog também) durante as últimas eleições foi liberar os comentários de alguns leitores. Tinha muita gente que, sempre sob o anonimato, ficava corajosa e desatava a atacar a honra dos candidatos, seja por xingamento, denúncias sem comprovação ou invasão da esfera privada.

Foram umas semanas em que desses valentões dos teclados não economizaram palavras como ladrão, corrupto, canalha. Um período em que também foram feitas muitas denúncias de enriquecimento ilícito, mas sempre sem provas. Outros casos comuns foram as tentativas de trazer a público coisas que são do foro privado dos candidatos.

O fato é que há um vazio legal. Sem medo de punição, as pessoas vem para a blogosfera falar o que querem. E transformam as redes sociais são uma não-terra sem lei, onde parece valer tudo. Já imaginaram, leitor e leitora, se essas pessoas tivessem que responder na Justiça por todas as besteiras que escrevem na internet? 

A esse respeito, há um caso interessante no Reino Unido. Alistair McAlpine, antigo assessor de Margareth Thatcher, foi envolvido num caso de abuso de menores, através de mensagens no Twitter. Mas o homem alega inocência e agora vai processar milhares de twitteiros que ajudaram a espalhar aquilo a que considera difamação.

Pode parecer um absurdo processar tanta gente, mas o caso pelo menos pode abrir uma boa discussão. Vou pegar um caso exemplar no Brasil: o ex-presidente Lula. Vocês já se deram conta do número de mensagens com acusações violentas que surgem na internet todos os dias? Ladrão, corrupto, bandido e por aí vai. 

Aliás, vou mais longe: quantas vezes você já escreveu ou repassou uma mensagem que contivesse esse tipo de afirmação? E pergunto: o que aconteceria se você, que odeia o ex-presidente, tivesse que provar, na Justiça, tudo o que diz sobre ele? Quero lembrar que por prova devemos entender evidências materiais. Ah... ler a Veja não constitui prova de coisa alguma.

Eu não sei o que vai acontecer no caso de Alistair McAlpine. Nem faço ideia se ele é culpado ou inocente. Mas torço para que o caso permita abrir alguma jurisprudência e no futuro pessoas sejam obrigadas a responder pelas coisas que dizem nas redes sociais. Porque com o risco de punição, a coragem desses valentões dos teclados desaparece.

Sintonia Fina

2 comentários:

llManuh disse...

Tem uma opinião que se há de tolerar, mesmo ofensiva, que é quando o outro acredita piamente em alguma questão que já foi resolvida, provada, etc..., etc...Só um exemplo a velha balela de que Lula saiu na capa da Forbes como um dos homens mais ricos do mundo. A Forbes nunca publicou nada disso, foi uma montagem, agora crime mesmo é de quem publicou uma montagem descarada como essa, que foi reproduzida inúmeras vezes! Quem acredita é só um idiota que não pesquisa sobre a veracidade das notícias, mas quem "inventa verdades" e as distribuiu, mesmo sabendo que é crime, esse tem que se ferrar!
Aqui no Brasil não são só os blogueiros que fazem isso, as revistas limpinhas como Veja também o fazem! Mesmo que tenham que publicar uma notinha em pé de página em fontes de bula de remédio: ERRAMOS!

Beijos meus

Andrezinho Corrêa disse...

Não acho que o Lula vá processar alguém porque não é o feitio dele. Acho que devem ser responsabilizados as revistas e os jornais, pq uma merda que algum tolo mal-informado posta é uma coisa, agora uma revista de circulação nacional é outra, a revista dá a sensação de verdade. Um bobão falando merda em rede social, poucas pessoas acreditam..