19 de out de 2012

POR QUE FOLHA E GLOBO ESCONDEM SUAS PESQUISAS?

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG- Partido da Imprensa Golpista) não mostra!


Às 21h37 de ontem, o 247, que não possui nenhum instituto de pesquisas, publicou os resultados da sondagem Datafolha encomendada por Globo e Folha: Fernando Haddad tem 49% e José Serra, 32%. Nem o vazamento levou a Folha.com ou o Uol a divulgar os números. Será que os grandes grupos de mídia seguem a máxima
"o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde", popularizada por Rubens Ricupero?
 

Jornal eletrônico independente, desvinculado de qualquer grupo tradicional de mídia, o Brasil 247, evidentemente, não controla nenhum instituto de pesquisa. Realizar sondagens eleitorais custa muito caro e é tarefa para poucos.
É o caso da Folha de S. Paulo, que possui seu Datafolha e ontem concluiu mais uma pesquisa, que hoje está na manchete de sua edição. O resultado, antecipado pelo 247 às 21h37 de ontem, aponta Fernando Haddad, do PT, com 49%, e José Serra, do PSDB, com 32%.
Desta vez, a pesquisa Datafolha, que ouviu 2.098 eleitores, foi encomendada pela parceria Folha e Organizações Globo. Como os resultados estavam prontos ontem, era possível já na noite passada – como fez o 247 – divulgar seus resultados. Como, aliás, foi feito com todas as pesquisas anteriores do instituto.
Mas a Folha preferiu o silêncio, assim como seu portal de notícias Uol. E isso mesmo depois do furo de reportagem publicado pelo 247.
O que explica um jornal gastar tanto dinheiro com uma pesquisa e não divulgar seus resultados? Qual é a lógica? De mesma maneira, o que explica o fato de a Globo ter encomendado uma pesquisa ao Ibope, que apontou 48% para Haddad e 32% para Serra, e não divulgá-la no Jornal Nacional, como ocorreu na última quarta-feira?
Mistérios que assombram os meios de comunicação e explicam a queda de sua influência, no momento em que a internet assume um papel cada vez mais relevante.
Ao que tudo indica, tanto a Folha, comandada por Otávio Frias, como a Globo, liderada por João Roberto Marinho, que aparentemente apoiam o candidato tucano José Serra, adotaram a máxima do embaixador Rubens Ricupero, que caiu do Ministério da Fazenda quando disse “o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde”.
Da pesquisa Datafolha, encomendada por Globo e Folha, o dado que salta aos olhos é a rejeição a Serra: nada menos que 52% dos eleitores garantem que não votarão nele em hipótese alguma. E a resposta para esse fenômeno para ser a agenda conservadora centrada no chamado "kit-gay" e trazida pelo candidato aos debates.

Sintonia Fina
- com 247

Um comentário:

Apelido disponível: Sala Fério disse...

Pois é: o que é bom a gente mostra, o que é ruim a gente 'marreta' ... huahuahua

Esses sites que se associam à grande imprensa escrita e televisionada, tipo UOL, IG e Terra, são umas cacas ideológicas, do mesmo gênero que os veículos que albergam. Eles fazem parte do PIG ...