1 de set de 2012

Cesar Maia do DEM transferiu bens para parentes antes da Justiça bloquear

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG- Partido da Imprensa Golpista) não mostra!



O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou na sexta-feira (31) o bloqueio dos bens do ex-prefeito do Rio Cesar Maia (DEMos-RJ), para garantir a devolução aos cofres públicos do dinheiro supostamente desviado ...


Que bens?

Ele declarou patrimônio ZERO à justiça eleitoral, como candidato à vereador.

Um cidadão desavisado poderia ficar comovido com um político que já foi prefeito 3 vezes da segunda maior metrópole do Brasil, deputado, etc, terminar a carreira numa pindaíba danada. Mas não é essa a realidade.

O demo mora em um apartamento de altíssimo luxo, que deve valer pelo menos R$ 5 milhões no mercado imobiliário de hoje, com um padrão de vida só acessível a milionários, e transferiu sua fortuna em imóveis para o nome de parentes. 

Detalhe: seu filho, o deputado Rodrigo Maia (DEMos-RJ), é candidato a prefeito.


Em entrevista recente ao jornalão O Globo, quando questionado o demo "explicou":

— Normalmente, os executivos que têm patrimônio, aos 65 anos, repassam os bens a seus filhos, esposa e netos. Como minha saúde não era perfeita, comecei a transferir os bens com 60 anos de idade e completei a transferência com 65 anos. É mais prático que testamento..

O jornalão se "esqueceu" de informar ao leitor que o demo já respondia há diversos processos de improbidade administrativa, cujas condenações levariam a perda destes bens se continuasse em nome dele.

Cesar Maia responde vários processos, tanto na justiça federal, quando se trata de verbas federais, como na estadual, na vara de fazenda pública. Alguns já há condenações, mas que ele ainda recorre a instâncias superiores.







Os processos vão desde maracutaias na construção da Cidade da Música, com denúncias de superfaturamentos e violação de normas, passando por transferir verbas públicas para uma ONG de seu sub-secretário de meio-ambiente, construção de igreja privada com dinheiro público, até ao pagamento de R$ 5,3 milhões da prefeitura para a Liga das Escolas de Samba, considerados em duplicidade, o que deflagrou o bloqueio dos bens.

A pergunta é: a justiça tem como alcançar os bens transferidos para parentes, como o filho Rodrigo Maia e para a irmã? E tem como punir, caso isso se caracterize uma manobra planejada?

Nenhum comentário: