1 de jul de 2012

“Sopaço da gente diferenciada” será realizado em frente à casa de Kassab

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!

A distribuição de sopa para moradores de rua é realizada por cerca de 50 entidades. Faz sentido criminalizar um ato que ajuda seres humanos a não passarem fome?

A prefeitura de São Paulo quer tornar crime a distribuição de sopa para moradores de rua; internautas organizam protesto de repúdio

Internautas estão organizando “um sopaço da gente diferenciada” na frente da casa do prefeito Gilberto Kassab (PSD), em Pinheiros, zona oeste, no próximo dia 06 de Julho.
O protesto acontece depois de o secretário da Segurança Urbana, Edson Ortega, ter anunciado, na semana passada, que a administração municipal iria proibir a distribuição de alimentos para moradores de rua na capital paulista.
Depois da polêmica gerada em torno da distribuição do sopão, a Prefeitura de São Paulo afirmou, em nota, que não pretende acabar com o serviço assistencial de 48 organizações civis que oferecem o alimento nas ruas da capital.
De acordo com o comunicado, a proposta é que as entidades ofereçam o sopão em espaços públicos destinados ao atendimento de pessoas em situação de rua.
- A prefeitura entende que a união das ações das ONGs com as dos agentes sociais têm potencial para tornar ainda mais eficazes as políticas de reinserção social.
Ainda de acordo com a administração municipal, o convênio de entidades com a prefeitura é voluntário. Assim, não serão punidas organizações que continuarem oferendo o sopão em locais fora dos espaços públicos oferecidos pela prefeitura.
O “sopaço da gente diferenciada” faz uma alusão ao protesto que aconteceu no bairro Higienópolis, depois que moradores se mostraram contra a construção de uma estação do Metrô na avenida Angélica. Cerca de 1.800 já disseram que irão comparecer à manifestação desta sexta-feira.

Reunião

Durante o encontro com representantes dos Conselhos Comunitários de Segurança (Conseg) e da Associação Viva o Centro, na quarta-feira da semana passada, a Secretaria de Assistencial Social afirmou que mapeou 48 instituições que distribuem comida nas ruas e as convidou a entregar o alimento em equipamentos públicos. Somente seis delas aceitaram o convite.
Por causa disso, a Secretaria de Segurança tinha a intenção de chamar cada uma das entidades e mostrar as provas que possui de indicio de diversos ilícitos passiveis de serem enquadrados, como forma de convencê-los pacificamente a entregar a comida em locais adequados e não nas ruas.
Sintonia Fina
- com  Pragmatismo Político

Nenhum comentário: