11 de jun de 2012

Perillo terá claque para dar ‘show’ e intimidar CPI

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!



Governador de Goiás prepara caravana de apoiadores e pensa no momento seguinte: estrutura de propaganda vai vender a ideia de que venceu algozes na CPI; ordem é intimidar; até deputados da comissão goiana vão como tropa de elite; integrantes do movimento #ForaMarconi marcarão presença



Vassil Oliveira – O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), prepara caravana de apoiadores para ocupar espaço em Brasília, nesta terça, 12, quando vai depor na CPI mista do Cachoeira. O objetivo é mostrar respaldo popular, força política e, indiretamente, intimidar os parlamentares que vão se ocupar das perguntas – os seus algozes, numa definição que corre os corredores do Palácio das Esmeraldas. E, depois, comemorar. Comemorar o fim de um momento difícil de questionamentos, dúvidas e críticas no Estado e fora.

Seus apoiadores, no entanto, vão esbarrar no contraponto que tem lhe tirado o sono em Goiás: os integrantes do movimento #ForaMarconi. Sem dinheiro, sem respaldo político da oposição – que está silenciosa e inativa, como se nada estivesse acontecendo –, por conta própria, eles também se organizam para marcar presença na capital federal e deixar sua marca.

A estrutura do governador é maior e profissional. Vai preparada para dar show, segundo revelou um nada animado integrante ao 247. Ele foi ‘escalado’, vai cumprir ordem. O show vai se estender ao pós depoimento, em uma ação concatenada e estratégica de comunicação pensada por equipe de fora – já que a local tem cometido deslizes que vem complicando a vida do tucano.

Por essa estratégica, foi montada estrutura preparada para já no momento em que Marconi começar a responder às perguntas, ‘vender’ a ideia de que o governador esclareceu todas as dúvidas e que, apesar de tentarem aniquilá-lo, ele não se deixou abater por Lula e todos os inimigos. Serão usadas as redes sociais e todos os veículos de comunicação alimentados com farta verba públicas nas últimas semanas.

É neste sentido que a propaganda vai trabalhar: vítima de ódio, ainda assim Marconi Perillo venceu. Daí em diante, será ‘inaugurado’ um novo momento no governo, com uma arrancada já preparada para mostrar que essa guerra estaria superada e que Marconi está olhando para a frente. Não à toa, o governador já deixou vazar até que até o final do ano vai fazer as mudanças que vem adiando e que, dessa vez, montará o “seu” governo, com nomes que escolherá sem a amarra das alianças políticas.

A estrutura dos contrários preparada para a CPI é constituída em sua maioria de jovens. Vai para marcar presença, “fazer barulho”- nas palavras de um dos organizadores do #ForaMarconi. Não há expectativa de que conseguirá mais do que isso. Há menos de duas semanas participantes do movimento foram alvo de ação violenta da polícia do governador em Itumbiara.
A do tucano contará ainda com um grupo de elite: auxiliares do governo, líderes escolhidos a dedo e, para completar, deputados estaduais integrantes da CPI do Cachoeira versão Goiás.

Os parlamentares da comissão – e outros, por conta própria – vão oficialmente acompanhar a sessão.
São os mesmos que, responsáveis por investigar a participação de políticos goianos com o contraventor, assinaram documento de apoio a Marconi Perillo, como mostrou reportagem do Goiás 247 com a íntegra desse documento e a relação de todas as assinaturas, 28 no total.

A expectativa dos deputados goianos pode ser resumida nesta declaração do presidente da CPI goiana, deputado Helio de Sousa (DEM), dada à Agência Assembleia de Notícias na semana passada: “É uma data importante, na qual o governador esclarecerá dúvidas que foram levantadas de suposta relação com o empresário Carlos Cachoeira.”

É isso: os membros da CPI do Estado ‘não têm dúvidas’ de que o governador esclarecerá ‘as dúvidas’. Até agora, a CPI goiana nem cogitou ouvir Perillo, apesar de ser ele o maior envolvido nas investigações que resultaram na prisão de Cachoeira. Depois de cinco sessões (começou dia 10 de maio), nas próximas semanas deverão ser ouvidas 19 pessoas, nenhuma de destaque no caso.
As ações programadas para o dia do depoimento do governador goiano deverão, no entanto, se restringir a pontos específicos e corredores do Congresso, porque à sala mesmo da sessão da CPI dificilmente os manifestantes dos dois lados terão acesso. Para os governistas, porém, isso não é problema, e foi pensado.

É aí que o profissionalismo dos apoiadores do governador vai se sobressair: haverá a turma do barulho, mas haverá também a dos de terno e gravata para avançar o mais próximo possível do local onde estará Marconi Perillo. Uma ação coordenada e com foco no resultado.
O governador está preparado para a guerra com os seus algozes. E não aceita outro resultado senão vencê-los.

 

Sintonia Fina

Nenhum comentário: