10 de mai de 2012

“O Brasil não depende do mundo.” “O mundo mudou e está mais forte”

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!

O Sintonia Fina reproduz texto de PHA.

O' Neill: o PiG detesta ele


O jornal Brasil Econômico publica nas pags. 6 e 7 importante entrevista de Jim O’Neill sobre o Brasil.

Ele é presidente do banco americano Goldman Sachs e criador do acrônimo “BRICs”, para designar os paises que, reunidos, breve, vão liderar a economia mundial: Brasil, Russia, India e China.

Como se sabe, o neolibelismo (*) brasileiro, os nossos Urubólogos, não tratam do O’Neill nem dos BRICs.

No jornal nacional, então, nem se fala.

Logo agora  que a Globo criou a editoria “o Brasil é uma m…”, que espalha desgraça por todos seus telejornais.

No recente livro “The Growth Map”, O’Neill conta que veio apresentar o conceito dos BRICs no Brasil.

E foi ferozmente pressionado POR BRASILEIROS para excluir o “B” do grupo.

Era o incio do Governo do Nunca Dantes e muitos brasileiros – quem, amigo navegante ? – queriam que o Brasil e o Nunca Dantes se explodissem.

Aí, como não levasse os interlocutores a sério, comprou Reais.

Manteve o “B” no primeiro lugar e se lamenta que teve de vender os Reais.

A moeda que mais se valorizou no periodo.

Por que será que a Urubóloga cita mais os irmãos Luiz de Barros e Carlos Mendonça que o O’Neill ?

Leia a seguir trechos da entrevista – a reprodução não é literal – e veja que a Dilma acerta na mosca: o maior problema da fulgurante economia do “B” são os juros:

- Algumas  economias importantes estão se recuperando, como os Estados Unidos, e a China fará um pouso suave.

- Os humores externos não vão influenciar tanto o Brasil.

- Existem quase 200 milhões de brasileiros, o que faz com o Brasil não dependa do mundo.

- O risco do Brasil são os juros.

- Para crescer 5%, 6% ao ano é preciso reduzir os juros.

- O que puxara o desenvolvimento sera o investimento e nao o comércio internacional de commodities.

- A principal diretriz de uma economia não é a moeda – embora o Real esteja valorizado -, mas a oferta e a demanda.

- É preciso manter a inflação baixa e ter uma forte disciplina fiscal.

- O mundo não está em crise, ele apenas está mudando rapidamente.

- A Europa não é o mundo.

- O Brasil chegou à posição de sexta economia do mundo dez anos antes do que pensei.

- A evolução dos BRICs está mais rápida do que qualquer um imaginou.

- O Brasil tem uma demografia muiro favorável (muita gente em idade de trabalhar e consumir).

- A Alemanha terá cada vez mais dificuldades devido ao perfil demográfico.

-  No combate à corrupção, o Brasil está indo melhor do que India, Rússia e China.

( Dá pra entender o pavor que os Urubólogos tem dele … PHA)


 Sintonia Fina

Nenhum comentário: