12 de abr de 2012

Protógenes ao brindeiro: Estadão quer salvar o Dantas e o Cerra

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!


O ínclito delegado Protógenes Queiroz enviou ofício ao brindeiro Procurador Geral para esclarecer de forma inequívoca sua legitimidade como membro da CPI do Demóstenes:




Protógenes Queiroz solicita à PGR informações sobre seu suposto envolvimento no caso “Cachoeira”


Em ofício enviado hoje (11/04/2012) ao Procurador-Geral da República,  Dr. Roberto Monteiro Gurgel Santos, o Deputado Delegado Protógenes (PCdoB-SP) solicita informações da investigação sobre o caso “Cachoeira” que possam incriminar sua atuação parlamentar, conforme matéria tendenciosa veiculada no jornal “O Estado de São Paulo”.


No documento, o Parlamentar questiona a existência  de dados, além de  áudios e vídeos envolvendo  seu nome  e se os mesmos evidenciam conduta criminosa relacionada com o esquema de contravenção do empresário goiano “Carlinhos Cachoeira”, desbaratado pela Polícia Federal através da Operação Monte Carlo.


Por fim, Protógenes   pede o encaminhamento das supostas informações com urgência, uma vez que é o autor do pedido de criação da CPI do Cachoeira, que tem como objetivo investigar o envolvimento de parlamentares nos negócios ilícitos do contraventor de Goiás.


Como diz PHA:



O Estadão tomou a iniciativa de constranger Protógenes, com o apoio ilimitado da Globo.


A Globo corre atrás da Veja, do Estadão, da Folha, já que, por mérito próprio, não descobre nada …


Faz a versão hollywoodiana do PiG (*) desmoralizado.


Daí, a Globo montar uma CPI própria, para salvar tucanos.


Para que detonar o Protógenes ?


Para livrar a cara do Daniel Dantas.


Para livrar a cara do Cerra e seu clã, heróis da Privataria Tucana, que migrou da Satiagraha para o livro do Amaury.


Mas, é um esforço em vão.


Primeiro, porque dificilmente o Supremo vai tirar o Dantas da cadeia pela TERCEIRA vez.


E, segundo, porque a ficha demorou a cair, mas até a Globo já percebeu que o Demóstenes melou o mensalao, como explicou, tim-por-tim, a TV Record.


Protógenes e Dadá se aproximaram quando Luiz Fernando Correa, aquele que ainda não achou o áudio do grampo, decidiu dinamitar a Operação Satiagraha – tirou funcionários, cafezinho, xerox, papel higiênico, tudo.


Era para salvar o pescoço do Dantas no berço.


(Logo ele, escravista, desde o século XIX.)


Dadá era do Serviço de Inteligência da Aeronáutica.


E é possível que tenha prestado serviços auxiliares a Protógenes, como aconteceu com funcionários da ABIN.


As conversas gravadas e “seletivamente” – diria o Sérgio Guerra – distribuidas ao Estadão (e logo grampeadas pela Globo), se verdadeiras, se referem à tentativa do Corrêa de pegar o Protógenes – e, por tabela, o Dadá.


Agora, o mais importante do Dadá o Estadão esquece.


É que o Dadá sabe muito: por exemplo, por que a Folha (**) quase detonou a Satiagraha com a ajuda de uma reporter “investigativa”.


Clique aqui para ler “O jornalismo investigativo sem o Cachoeira e o Demóstenes acabou”.


E aqui para ler “Cuidado, colonistas (***) investigativos substituem o Cachoeira por advogados”..


Sintonia Fina
-com Conversa Afiada

Nenhum comentário: