31 de mar de 2012

PARA OS JOVENS SABEREM E OS QUE VIVERAM, JAMAIS ESQUECEREM


Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!

Pois nada, absolutamente nada, é pior para um ser humano do que ter todos os seus direitos limitados, os seus passos vigiados e seus sonhos sufocados por um ogro fardado qualquer.

DESAFIO
  
Eu tenho uma faca encostada na barriga,
um grito de guerra sufocado na garganta,
meu canto desafina a ordem unida nas ruas,
evocando feitos de uma gente banida, escondida.

Recordo um abraço trocado no calor da luta,
sorrisos, promessas, lampejos de amor e alegria,
o sol refletido no ardor de um povo acordando,
os corpos transbordando esperança e paixões.

Trago comigo o legado de heróis esquecidos,
anseios de vidas apostadas no futuro da vida,
e vejo a apoteose da morte no paraíso tropical,
esperança traída, esmagada com torturas e tiros. 
LUNGARETTI


in memorian:







HADES

Terrores primitivos,
marcados a ferro e fogo
em nossas mentes febris,
nos porões de uma pirâmide de plástico,
nos labirintos da sanidade e loucura,
nas encruzilhadas entre a vida e a morte,
truncando nossos pensamentos,
tragando nossa identidade,
distorcendo nosso ser.

O passado de tocaia, mirando a presa – um sonhador.
O passado de tocaia, mirando a presa – um lutador.
O passado de tocaia, mirando a presa – um mártir.
LUNGARETTI








JOE

Eu posso suportar uma tempestade!

Que ninguém me creia vencido
pois estou consciente de tudo:
com as cinzas do meu passado,
vou erguendo a montanha
que soterrará esta calmaria.

Falo palavras dos outros
em território hostil e alheio
– estranho numa terra
estranha, sim, Heinlein!
Mas ainda sei distinguir
os timbres falsos
dos verdadeiros
e espero minha hora.

Do centro deste redemoinho,
quando todos se calam,

nada sentem e só consentem,
lanço meu desafio:
não passarão cinco anos
sem que eu esteja de volta!

Tudo que acumulei entre os lobos
ajudará a forjar minhas armas.
Se hoje suporto uma tempestade,
estejam certos de que, ao voltar,
trarei comigo um dilúvio!
LUNGARETTI







Que ninguém me creia vencido
pois estou consciente de tudo:
com as cinzas do meu passado,
vou erguendo a montanha
que soterrará esta calmaria.

Espero a centelha da vida brilhar,
tímida, em alguns olhares,
as dúvidas, aos poucos,
se transformarem em certezas
e uma nova onda brotar,
crescer e se desencadear,
para extirpar toda covardia,
toda mentira
que nos fizeram engolir
e ir mais longe,
muito mais longe
do que fomos capazes de ir!
LUNGARETTI











E muitos outros que deram suas vidas e seus sonhos pela liberdade no Brasil



Sintonia Fina
- Náufrago da Utopia



Nenhum comentário: