30 de jan de 2012

Globo não engole dois pernambucanos. O que significa “painho”

O Sintonia Fina, reproduz artigo do Conversa Afiada.

O jornal O Globo produziu neste domingo uma peça de preconceito.

Um pseudo perfil de Eduardo Campos, governador de Pernambuco, aquele que fez – com o Nunca Dantes – uma revolução em Pernambuco, cujo símbolo é o porto de Suape.

Quando esteve lá, durante a campanha presidencial de 2010, o ansioso blogueiro assegurou que Campos dava de 10 a 0 naquele que o Globo e seus colonistas consideravam “o mais consistente”, o Padim Pade Cerra.

O título do preconceito do Globo é “Eduardo Campos, o novo painho da política do Nordeste”.

Campos faz no Nordeste, “sorrindo, o que antes o todo poderoso Antonio Carlos Magalhães fazia gritando na Bahia“ – diz o pseudo perfil.

Pergunta O Globo, naquele texto objetivo, isento, que caracteriza o PiG (*): “é um coronel moderno com mais verniz ou um socialista que prefere o Diário Oficial a O Capital ?”

(A autora deste editorial vai longe …

Acaba com um programa na GloboNews, no lugar do “Entre Caspas”.)

Ela sintetiza sua opinião assim, de forma anônima, pelas costas:

“Mas, entre os aliados (quem ? nome, endereço ? Dilma ? – PHA), paira uma desconfiança de que o político mais poderoso do Nordeste vá lhes dar uma rasteira em 2014.”




Sintonia Fina

Nenhum comentário: