21 de dez de 2011

Protógenes jogou a bomba do Riocentro no colo do Governo



Não adianta falar grosso com o Lupi e fino com o...



A Privataria  Tucana, a Opera Magna do “brilhante” Daniel Dantas,  é a mãe de todos os malfeitos.



A consultoria  do  Palocci, as ONGs do Orlando, o duplo-emprego do Lupi -  isso tudo é brincadeira de criança diante da maior roubalheira numa privatização latino-americana.

A obra do Amaury e seu sucedâneo político, a CPI da Privataria , são a bomba do Riocentro lancada ao colo do Governo.

Se o Governo escala o coronel Job Sant’Ana para desarmar a bomba, babau.

O Merval faz melhor.

A bomba do Riocentro explodiu a farsa da abertura segundo o figurino dos militares.

O Figueiredo prendia, abria e arrebentava e se acumpliciava aos terroristas do Riocentro, aqueles que queriam  explodir  o Chico Buarque com tudo dentro.

O Marco Maia não é o Marco Maia.

Marco Maia é o Governo Lula/Dilma.

Se a CPI do FHC/Dantas/Cerra – é disso que se trata – não sair, babau.

Todos os malfeitos prosperarão – mesmo os dos” pés de chinelo “, para usar expressão da comunidade que o delegado Itagiba frequentava.

Não adianta falar grosso com o Lupi e fininho com o Dantas.




Sintonia Fina via Conversa Afiada 


"O jornalismo é, antes de tudo e sobretudo, a prática diária da inteligência e o exercício cotidiano do caráter"(Cláudio Abramo)

Nenhum comentário: