3 de dez de 2011

Escolha: Belo Monte ou Chernobyl?

O Sintonia Fina reproduz texto de OpenSante

Richard Jakubaszko O pior de Chernobyl, dizem alguns especialistas, ainda está por acontecer. As exacerbadas preocupações com Fukushima são imensuravelmente menores do que ainda está por acontecer com Chernobyl, como consequência do vazamento radiativo ocorrido em 1986. 

Gerson Machado, comentarista contumaz deste blog, enviou o vídeo abaixo, e comentou: "o sarcófago que cobre a usina vai desabar em breve e a merda, apresentada nos vídeos abaixo, ocorreu em um raio de 300 km, com o vazamento de apenas 2% do que está dentro do sarcófago atualmente. Portanto, imagine-se o que vem por aí. Ainda não iniciaram a reforma, não tem gente nem verba para isso e a Ucrânia abandonou ajuda para as piores vitimas (a primeira geração de crianças depois do acidente) dizendo que não é culpada pelo acidente. 

Todos os alimentos (gado, porcos, aves, árvores, e os solos) num raio de 300 km ainda estão altamente contaminados por diversos isótopos radioativos, e os índices de câncer são, no mínimo, 100 vezes maiores do que o normal". 

As nossas escolhas, aqui neste país abençoado por Deus, e bonito por natureza, estão, portanto, entre fazer uma hidrelétrica como a Usina de Belo Monte, ou instalar mais umas 4 ou 5 usinas nucleares, todas com possibilidades de acidentes, como os ocorridos em Chernobyl ou em Fukushima, porque "risco zero" é uma utopia. 

Aviso: precisa-se ter um estômago forte para assistir algumas cenas do vídeo abaixo.



Sintonia Fina

Nenhum comentário: