25 de nov de 2011

Dantas vence no Supremo (!). Leitores celebram na Folha

Por sugestão do Stanley Burburinho, veja o que saiu na Folha (*):

 

Daniel Dantas consegue acesso irrestrito a arquivos da Satiagraha


FELIPE SELIGMAN

DE BRASÍLIA


Por unanimidade, o STF (Supremo Tribunal Federal) confirmou uma liminar dada pelo ministro aposentado Eros Grau e concedeu à defesa de Daniel Dantas e do presidente do grupo Opportunity, Dório Ferman, o acesso a todos os arquivos originais contidos em meio digital (discos rígidos, DVDs e pen drives) que integram a Operação Satiagraha.


Deflagrada em 2008, a Satiagraha prendeu, entre outras pessoas, o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta, o investidor Naji Nahas e o banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity, suspeitos de praticar os crimes de lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, evasão de divisas, formação de quadrilha e tráfico de influência para a obtenção de informações privilegiadas em operações financeiras.


Eles já tinham o acesso a praticamente tudo, mas não tinha ainda a permissão para verificar alguns arquivos que, segundo perícia da Polícia Federal, estavam vazios ou danificados.


O advogado de Ferman, Antônio Pitombo, que foi o autor do pedido no Supremo, argumentou que gostaria de verificar se, de fato, essas mídias estavam mesmo imprestáveis.


Tanto ele quando o advogado de Dantas, Andrei Zenkner Schmidt, reclamavam que o acesso às provas foi negado pela 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo.


A vice-procuradora-geral da República, Deborah Duprat, argumentou que a questão era simples, já que as provas em questão não foram liberadas por haver um documento oficial da Polícia Federal, dizendo que elas não tinham conteúdo relevante.


O mesmo argumento já havia sido apresentado pelo então juiz Fausto Martins De Sanctis, que enviou ofício a Eros Grau, dizendo que a defesa do Opportunity teve acesso irrestrito às provas, com exceção de alguns arquivos corrompidos.


Os ministros entenderam, no entanto, que é um direto da defesa verificar as mídias, mesmo que sem conteúdo. Para a relatora, ministra Cármen Lúcia, o “direto de defesa foi, de certa forma, cerceado”.


Os advogados afirmam que querem verificar as provas com o objetivo de averiguar se a Operação Satiagraha foi “encomendada” por interesses privados.


Comentar esta reportagem Ver todos os comentários (123)


1.Ernesto Silva (415)

(19h33) há 10 horas

No Brasil é assim mesmo:

Se fosse um “ninguém” roubando um litro de leite estava preso.

Mas como quem tem dinheiro no BR NÃO VAI PRESO, o crime por aqui compensa sim!

É uma pena vermos nossa sociedade descer ao patamar em que se encontra.

Para poucos TUDO e para quase todos NADA!!!

O comentário não representa a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem


2.Washington Marques (689)

(19h27) há 10 horas

Não demora este Daniel Dantas terá acesso aos documentos pessoais da Presidente Dilma, das negociações do Banco Central, da gaveta do Ministro da Justiça. Não duvidem se daqui a um ano o Presidente do STF, a Presidente da Republica, o Ministro da Justiça passarem a ser réus e o Sr Daniel Dantas vitima, inclusive com direito a uma poupuda indenização.

O comentário não representa a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem


3.vagner oliva (14)

(21h04) há 8 horas

Pra mim a Polícia Federal deveria ter independência funcional e financeira, assim como o Ministério Público e o Poder Judiciário. O que fizeram com o Ilustre Senhor Doutor Delegado Protógenes foi uma covardia.

Que democracia de M…. é essa! 

 

Sintonia Fina - Conversa Afiada

Nenhum comentário: