6 de mai de 2013

CHINELADA NA GLOBO ... FMI PREVÊ PIB 3% MAIOR E CHAMA BC DE "VIGILANTE"



Ao contrário da oposição brasileira, o Fundo Monetário Internacional está enxergando um Banco Central "cuidadoso e vigilante" diante da inflação; também projeta um crescimento de 3% no PIB deste ano, três vezes mais do que o de 2012; governo adotou "muitos estímulos e medidas" para o setor produtivo, segundo o diretor para o Hemisfério Ocidental do FMI...



O FMI está olhando de perto a economia brasileira – e enxerga uma taxa de crescimento para 2013 e uma atenção sobre a inflação que muitos aqui não veem. Em entrevista para o site da instituição, o diretor para o Hemisfério Ocidental do Fundo Monetário Internacional (FMI), Alejandro Werner, previu um crescimento do PIB três vezes superior ao de 2012, elegiou o comportamento do Banco Central no combate à inflação e registrou que vê com otimismo os muitos "estimulos e medidas" dirigidas ao setor produtivo.

Werner avisa que, para o futuro, é importante o Brasil focar na agenda de infraestrutura e de reformas estruturais, para gerar expansão acima de 3%. Segundo ele, o comportamento da inflação no país também está no radar do FMI, para quem é necessário, como tem ressaltado o Banco Central brasileiro, ser "cuidadoso e vigilante" em relação à alta dos índices de preços.

Para o diretor do FMI, o BC tem sido "extremamente direto" ao falar de seu desejo de conter a inflação e "trazê-la de volta à meta". Ao analisar o desempenho da economia brasileira no ano passado, a instituição ressalta que o crescimento se desacelerou com força, "a despeito dos significativos estímulos monetários e fiscais". Segundo o FMI, "elevados custos unitários do trabalho, gargalos de infraestrutura, e incerteza sobre políticas domésticas provavelmente pesaram sobre a confiança dos empresários e o investimento privado".

Indicadores

Apesar do desaceleramento do ano passado, indicadores recentes apontam para um fortalecimento da atividade. Além disso, o investimento voltou a crescer no quarto trimestre de 2012, aponta o Fundo. Neste ano, o fato de as vendas de carros novos terem subido 29% em abril, com recorde para o mês, é outro indicador animador.

Para a América Latina, o FMI espera expansão de 3,4% neste ano, acima dos 3% do ano passado. E o desempenho melhor do Brasil terá peso importante nessa trajetória. As projeções fazem parte do Panorama Econômico Regional para o Hemisfério Ocidental da instituição, que inclui todos os países das Américas.


SINTONIA FINA - @riltonsp  
com 247

Nenhum comentário: